Dr. Rodolfo Oliveira

Sofre com seios grandes? A cirurgia de redução de seios pode te ajudar

Sofre com seios grandes? A cirurgia de redução de seios pode te ajudar

A cirurgia de redução de seios pode ser a saída para quem sofre com o tamanho e o peso das mamas. Você já ouviu falar nesse procedimento? Acompanhe o artigo e saiba como ele funciona e quais seus benefícios.

A mamoplastia redutora, como é chamada no meio médico, visa diminuir a quantidade de tecido adiposo e glandular, assim como a pele sobressalente do seio para alcançar a proporção das suas dimensões em relação ao corpo da pessoa. 

De acordo com levantamento realizado entre os associados da  Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, essa técnica – juntamente com a abdominoplastia, mamoplastia de aumento, lipoaspiração e mastopexia – lidera o ranking dentre as buscas por intervenções estéticas nos consultórios. Entenda quem pode se beneficiar do procedimento.

Indicação da cirurgia de redução de seios

A principal indicação da cirurgia é para pacientes com seios de tamanho e volume que vão além do ideal para as características anatômicas do seu corpo. Geralmente, essas pacientes desenvolvem problemas posturais, alergias e irritações no sulco mamário, dores nos ombros e nas costas, resultantes do peso das mamas.

Ainda, há a questão estética que é levada em consideração. A mamoplastia redutora também é recomendada para aquelas cujo o tamanho dos seios provocam constrangimento e desconforto com o próprio corpo. Então, se você tem seios grandes e acha que isso é um problema, essa cirurgia pode ser a solução.

Geralmente, o procedimento já pode ser realizado a partir dos 18 anos, quando a mama pois na maioria dos casos, a mama já se encontra completamente desenvolvida

Como é feita a mamoplastia redutora?

O procedimento é feito mediante anestesia geral e pode durar, em média, 2 horas. Os passos realizados pelo cirurgião incluem: 

  • Incisões na mama que permitem a remoção do excesso de gordura, tecido mamário e pele;
  • Redimensionamento da mama e da aréola;
  •  Sutura de forma a evitar cicatrizes aparentes.

Dependendo da abordagem utilizada durante a cirurgia, o formato e o tamanho da cicatriz pode mudar. É bem comum o formato em forma de T invertido, que se inicia na aréola e acaba no encontro da mama com o tórax.

Às vezes, é necessário utilizar um dreno pós-cirúrgico temporariamente para eliminar o excesso de sangue e fluido que possa se acumular na região. De forma geral, o pós-operatório é bem simples.

Entenda os benefícios da cirurgia de redução de seios

Auxilia no tratamento de problemas posturais e auto-estima relacionado ao tamanho do seio

Esta cirurgia tem caráter reparador e estético. A mulher que não se incomoda com o peso da mama, mas tem problemas posturais advindos dessa razão, pode recorrer ao procedimento para se livrar das dores nas costas e postura inadequada. 

Aquela que sofre constrangimento ou prefere alinhar o tamanho do seio com sua altura e peso corporal, proporcionalmente, também pode se valer da mamoplastia redutora para se sentir melhor com a sua imagem.

Procedimento seguro

Não existe cirurgia plástica sem risco, contudo, elas estão cada vez mais seguras. Desde que seguidos todas as orientações do médico e da Associação Brasileira de Cirurgia Plástica, os riscos de passar por uma redução das mamas são bem pequenos.

Resultados definitivos

O resultado da mamoplastia redutora é definitivo, uma vez seguidas as orientações do cirurgião plástico com atenção e cuidado.  Entretanto, alguns fatores podem alterar a aparência obtida após a cirurgia. Um exemplo disso é a flutuação de peso, gravidez e alterações hormonais. Embora a mama jamais volte a ser como antes, no caso de nova insatisfação, o cirurgião deverá ser consultado.

Melhora a condição da pele 

O atrito da mama com a pele da região submamária pode causar alergias e urticárias. Quando o tamanho é realinhado, esse atrito deixa de existir, possibilitando à pele voltar para seu estado saudável.

Diante de tantos benefícios, não há razões para sofrer com o tamanho da sua mama. Converse com um cirurgião experiente e saiba se a cirurgia de redução do seio é indicada para você.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião plástico em São Paulo!

Posted by Dr. Rodolfo Oliveira in Todos
5 mitos e verdades sobre a lipoescultura

5 mitos e verdades sobre a lipoescultura

A lipoescultura é uma cirurgia realizada para melhorar o contorno corporal. Combina-se, neste procedimento, duas técnicas: a lipoaspiração, que retira a gordura de determinada área do corpo, e a lipoenxertia, que injeta essa mesma gordura para dar volume em outra região corporal.

A finalidade é esculpir o corpo, modelando o contorno que o paciente deseja alcançar. Assim, a lipoescultura vai aumentar o volume onde existem depressões, melhorando o aspecto flácido e moldando as curvas onde há pouca gordura.

Essa cirurgia já é uma das mais realizadas em todo o mundo. Estima-se que são feitas cerca de 220 mil lipoesculturas ao ano. Embora as regiões corporais que mais passam pelo processo sejam as mamas, o queixo, os glúteos, as coxas e as mãos, a técnica pode ser feita em qualquer área que haja gordura.

Apesar de ser um procedimento simples, ele exige cuidados especiais. Por isso, é comum haver hesitações em relação à técnica. Neste artigo, separamos os principais mitos e verdades sobre o assunto. Acompanhe e tire suas dúvidas.

Mitos e verdades sobre a lipoescultura

1# A cirurgia é perigosa

Mito. As complicações cirúrgicas surgem mediante situações que expõem o paciente ao risco. Tecnicamente, o perigo é o mesmo de qualquer outra cirurgia invasiva. O que deve ser avaliado é se o profissional que vai realizá-la é habilitado para tal e se o local é apropriado.

 Além disso, o paciente deve estar em condições de saúde suficientes para se submeter ao procedimento. O peso tem que estar adequado e doenças crônicas ou agudas precisam estar sob controle. Caso o paciente tome medicamentos, o médico precisa ser informado. Por isso os exames pré-operatórios e o risco cirúrgico são tão importantes. 

2# O procedimento deve ser feito em local apropriado

Verdade. Independente de ser uma técnica simples, a lipoescultura precisa ser realizada em ambiente com estrutura que garante a segurança do procedimento e do paciente.  O indicado é que o local seja autorizado pela Vigilância Sanitária para a realização de procedimentos cirúrgicos. 

3# Lipoaspiração e lipoescultura são a mesma coisa

Mito. A lipoaspiração apenas retira a gordura da região lipoaspirada. Já a lipoescultura, além de aspirar, reposiciona essa gordura em outro local para modelar as curvas corporais, preenchendo espaços com pouco tecido adiposo. 

4# O procedimento é indicado para perda de peso

Mito. A finalidade dessa técnica não é diminuir o peso do paciente. Ela é aconselhada apenas nos casos em que a pessoa deseja esculpir o corpo. É comum o paciente achar que emagreceu depois do procedimento. Isso se deve ao fato de que após o corpo ser modelado, pode passar essa impressão. Entretanto, se já houver excesso de gordura corporal, o procedimento precisa ser reavaliado e as expectativas alinhadas.

5# O resultado não é exato

Verdade. Embora o procedimento seja duradouro, o resultado não é definitivo. Isso porque a gordura pode voltar a se acumular, caso o paciente não se alimente de forma adequada e não realize exercícios físicos. Outras pessoas têm uma tendência genética a acumular gordura em algumas regiões do corpo, fazendo com que o contorno conquistado acabe se modificando ao longo do tempo.

Também é importante conversar com o médico para entender o que esperar do resultado da sua lipoescultura e como manter o efeito duradouro da cirurgia. Em alguns casos, não é possível atingir o melhor resultado apenas com uma cirurgia. Dessa forma, depois da avaliação médica pode ser realizado outra seção para alcançar o foco mais próximo do objetivo do paciente.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião plástico em São Paulo!

Posted by Dr. Rodolfo Oliveira in Todos
Dicas para prevenir a diástase abdominal

Dicas para prevenir a diástase abdominal

Diástase abdominal é o pesadelo da mulher grávida. Isso porque a condição tem consequências bem desagradáveis para a futura mamãe. Mas, não são apenas as mulheres que sofrem com esse problema. O acúmulo rápido de gordura corporal, levantamento de peso excessivo e exercícios abdominais intensos podem entendê-lo também para os homens e mulheres que não estão grávidas.

O impacto da diástase na musculatura abdominal causa incontinência urinária, complicações no trânsito intestinal, dor nas costas e aquela barriguinha saliente difícil de perder. 

Apesar de existir tratamento para reverter a situação, o mais indicado a se fazer é prevenir o problema, principalmente no caso das gestações, que são as causas mais frequente da diástase. Para isso, é necessário entender do que se trata essa condição. Acompanhe o artigo, aqui explicarei melhor sobre o assunto e vou ensinar algumas formas de prevenção!

O que é diástase e como ela ocorre

 Durante a gravidez, os músculos do abdome sofrem uma distensão para acomodar o útero que aumenta significativamente de tamanho à medida que o bebê vai crescendo. Isso ocorre porque ao sair da cavidade pélvica para a cavidade abdominal, o útero começa a pressionar toda a parede do abdome, provocando uma rachadura em seu centro. É como se dividisse o músculo em duas metades.

Além da pressão exercida pelo útero, a musculatura ainda sofre ação dos hormônios nos tecidos conectivos, responsáveis por manter o músculo unido. 

O estiramento muscular acontece por volta do 2° trimestre da gestação e tem maior incidência no último mês de gravidez e no pós-parto.

Até 3 cm, a diástase pode ser considerada fisiológica. Contudo, o afastamento entre os músculos pode chegar a 15 cm.

A diástase também está relacionada ao aumento da pressão intra-abdominal provocado por excesso de peso e flacidez dos tecidos.

Como prevenir o problema?

Atividades físicas durante a gestação são uma boa arma contra a diástase. Entretanto, é necessário ter cautela. O programa adequado de exercícios é essencial para não favorecer ainda mais o surgimento do problema. É comum a confusão nesse momento. Muitas mulheres acham que quanto mais intenso o treino for, mais protegida elas estão. Isso é um mito, pois os exercícios de alto impacto como agachamentos com peso e abdominais não são recomendados nessa fase.

Outro mito é referente ao uso de cintas elásticas após o parto. A função das cintas não ajuda a musculatura voltar para o lugar. Elas são mais indicadas nos casos cirúrgicos para auxiliar na cicatrização e recuperação do tecido muscular após o processo.

Uma boa dica é evitar o ganho o de peso excessivo, fazer uma dieta equilibrada, evitar saltos altos e manter uma boa postura no dia a dia. O Pilates é uma boa opção para trabalhar a musculatura abdominal e prevenir o estiramento, tanto antes da gestação quanto durante.

Estou com diástase abdominal, e agora?

Mesmo com toda a prevenção, é possível que a musculatura abdominal não suporte a pressão e sofra uma lesão. Se a diástase for de até 3 cm, o músculo consegue se regenerar sozinho. De 3 a 5 cm, realizar exercícios físicos acompanhados pelo profissional é eficazes. À partir dos 5 cm, é recomendado um procedimento cirúrgico chamado abdominoplastia.

O ideal é aguardar pelo menos 6 meses após o parto para que a mulher volte ao seu peso ideal. Assim, o risco da flacidez reaparecer é menor. Além disso, após essa data o período de amamentação já se cumpriu.

A diástase abdominal precisa ser avaliada pelo cirurgião plástico para que a técnica seja indicada corretamente. Antes da cirurgia, tire todas as suas dúvidas e alinhe suas expectativas com o seu médico.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião plástico em São Paulo!

Posted by Dr. Rodolfo Oliveira in Todos
Abdominoplastia: 4 cuidados pré-operatórios

Abdominoplastia: 4 cuidados pré-operatórios

Abdominoplastia é uma das opções para modelar o abdômen, deixando-o mais reto e bonito. Esta cirurgia estética consiste na retirada do tecido flácido que se acumula na região da barriga. Também é possível fazer a junção dos músculos do abdômen, caso estejam frouxos, para que pareçam mais firmes.

É importante salientar que o objetivo deste procedimento não é a perda de peso e, sim, reduzir a flacidez ocasionada por múltiplas gestações ou ganho e perda excessiva de gordura corporal.

A decisão de realizar um procedimento desses tem que ser tomada com bastante consciência. Mesmo que seja para fins estéticos, a cirurgia é invasiva e precisa ser orientada por um profissional habilitado.

E isso não é o bastante. Quem se submete à técnica, sabe que o resultado desse tipo de procedimento depende de diversos fatores, sobretudo no que diz respeito aos cuidados pré-operatórios. 

Por isso, separei aqui algumas formas de se preparar para a abdominoplastia. Confira!

Cuidados pré-operatórios da abdominoplastia

Se preparar corretamente para a cirurgia colabora para o baixo risco de complicações e contribui para que os resultados cheguem o mais próximo possível do planejado. Ainda, ajuda a preparar o corpo para se recuperar mais rapidamente. Entenda os cuidados.

1# Escolha um profissional de confiança

Da mesma forma que qualquer outro procedimento cirúrgico, a abdominoplastia demanda um profissional especializado. No caso das cirurgias plásticas, a recomendação da Associação Brasileira de Cirurgia Plástica é que o cirurgião seja um membro associado. Isso garante que ele conheça os padrões exigidos para manter a segurança do procedimento e do paciente. 

2# Tire suas dúvidas

Converse com o seu médico antes de se submeter à cirurgia e tire todas as suas dúvidas. Geralmente, o próprio cirurgião já orienta o paciente quanto aos cuidados pré e pós-operatórios. Porém, nem sempre isso soluciona todas as inseguranças do paciente. Só agende sua abdominoplastia quando não tiver mais hesitações.

3# Se atente à dieta

A alimentação é muito importante para preparar o corpo e essencial para atingir bons resultados. Priorize frutas e vegetais e deixe a gordura e o açúcar excessivo de lado. O foco é proporcionar ao corpo os nutrientes necessários para auxiliar o trabalho do sistema imunológico.

Algumas pessoas podem precisar de suplementação de vitaminas. Após os exames pré-operatórios, o médico vai prescrever o que for indispensável.

4# Mexa-se  

Preparar uma rotina de exercícios físicos antes da abdominoplastia auxilia na conquista do melhor resultado. Atividades físicas tonificam os músculos. Como eles ficam abaixo da camada de gordura que é retirada na abdominoplastia, se tiverem fortalecidos, o resultado é melhor.

Além disso, os benefícios dos exercícios para o corpo estimulam uma resposta imunológica mais satisfatória. 

Mas, lembre-se. É necessário consultar um profissional antes de iniciar a sua rotina.

Resultados da abdominoplastia

O resultado definitivo de uma abdominoplastia é percebido em média após três meses de cirurgia. Devido à intensidade do procedimento, a sensibilidade da região pode demorar entre 6 e 12 meses para se restabelecer completamente. Por isso, é importante seguir todas as recomendações do seu médico e qualquer alteração não esperada deve ser avaliada imediatamente.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião plástico em São Paulo!

Posted by Dr. Rodolfo Oliveira in Todos
Próteses de silicone são perigosas?

Próteses de silicone são perigosas?

As próteses de silicone são um objeto de desejo de muitas mulheres que estão insatisfeitas com o formato das mamas. Além de aumentar o tamanho, o procedimento também é indicado para projetar ou subir a posição das aréolas.

Esta é uma das cirurgias estéticas mais realizadas no Brasil. Em 2018, 18,8% das intervenções cirúrgicas se destinavam à colocação de implantes mamários.

O procedimento tem duração média de uma hora. O cirurgião pode escolher dentre os três tipos de incisões: 

  • Inframamária – o corte é realizado no sulco mamário, a linha de encontro entre o seio e o tórax.
  • Transaxilar – o corte é feito na dobra natural da axila, o que não deixa nenhum tipo de cicatriz no seio. Contudo, é uma técnica pouco utilizada, devido ao fato de ser uma abordagem mais complexa.
  • Incisão periareolar – o corte é feito ao redor da aréola e a prótese é introduzida por esse canal.

Dependendo do objetivo da cirurgia, tipo de técnica e condição do paciente, o cirurgião também poderá optar pela anestesia geral, local ou com sedação. 

É bem comum as pessoas ficarem inseguras com a realização de cirurgias plásticas em geral, seja pelo receio de complicações ou medo do efeito da anestesia. Dentre as mamoplastias de aumento, ainda há uma preocupação a mais, relacionada à prótese implantada. 

Neste artigo, vamos abordar melhor este assunto. Leia e fique por dentro.

Afinal, próteses de silicone são perigosas?

Para início de conversa, é bom relatar que as próteses de silicone implantadas em humanos são produzidas com material diferente do silicone industrial. Dessa forma, o implante não apresenta grau de toxidade ao organismo. 

A substância utilizada na fabricação dos implantes é conhecida como gel de alta coesividade. Isso significa que ele possui propriedades que impedem o gel de se espalhar, mesmo com o rompimento da prótese.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, as próteses de silicone não fazem mal à saúde da mulher, desde que aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Os implantes autorizados pela ANVISA passam por parâmetros de avaliação bem criteriosos para garantir que o uso daquele material seja seguro para o corpo.

Embora a aprovação sanitária pelo órgão público seja importantíssima para validar a segurança do material, isso por si só não é suficiente para evitar complicações. Essas podem ser associadas tanto à prótese, quanto ao procedimento cirúrgico.

Possíveis riscos da mamoplastia

Em grande parte dos casos, o implante não causa problema algum. No entanto, uma dúvida bem comum é referente à amamentação.

 A prótese, em si, não impede que a mulher amamente normalmente. Acontece que, em alguns casos, a técnica cirúrgica utilizada atinge alguns ductos mamários. Isso pode atrapalhar o caminho do leite da glândula até o mamilo. Se você pretende engravidar após a colocação do silicone, converse sobre isso com o seu médico.

Alguns exemplos de problemas que podem ocorrer com a colocação da prótese de silicone são:

  • Enrugamento da pele sobre o implante;
  • Ruptura do implante;
  •  Contratura capsular- formação de tecido cicatricial rígido ao redor da prótese;
  • Alterações permanentes ou temporárias da sensibilidade do seio;
  • Dor;
  • Reação à anestesia;
  • Má cicatrização;
  • Infecções.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião plástico em São Paulo!

Posted by Dr. Rodolfo Oliveira in Todos
O que é preenchimento facial?

O que é preenchimento facial?

O preenchimento facial é um dos tratamentos mais recomendados para amenizar os sinais do tempo na pele. À medida em que envelhecemos, o corpo começa a apresentar os efeitos da idade avançada.

O contato com a poluição diariamente, a exposição à radiação solar e a diminuição da produção de colágeno e ácido hialurônico pelo organismo fazem com que a pele seja um dos primeiros órgãos a refletir o avanço da idade.

As rugas e linhas de expressão já começam a surgir por volta dos 30 anos de idade. Para combater esse problema, homens e mulheres procuram ajuda da medicina estética e enchem os consultórios médicos atrás de uma solução. Existem diversos tratamentos disponíveis para esse fim, hoje em dia.

O que faz do preenchimento facial um queridinho entre médicos e pacientes é que o procedimento não é invasivo, é de execução simples e muito eficaz.

Neste artigo, vou explicar melhor sobre o assunto. Se interessou? Vamos à leitura!

Preenchimento facial: o que é o procedimento?

A técnica consiste em injetar uma substância específica nas depressões, linhas e sulcos formados na pele, devolvendo o volume e melhorando o contorno facial.

O resultado dos preenchimentos revitalizam e rejuvenescem a face, sem necessidade de cirurgias, sem riscos e sem efeitos colaterais. Para isso, é imprescindível realizá-lo apenas com profissionais habilitados, como um cirurgião plástico, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

As substâncias injetadas nas rugas e sulcos do rosto podem ser várias, a depender do grau e objetivo do preenchimento. Entenda melhor, a seguir.

Ácido hialurônico

Esta é uma molécula de proteína e açúcar presente em nosso organismo. O ácido hialurônico, junto com outras substâncias, é responsável por manter a pele naturalmente hidratada e elástica. Contudo, a sua produção natural começa a diminuir por volta dos 25 anos de idade, tornando a pele mais seca, o que dá origem às rugas e sulcos, como o famoso bigode chinês.

Ao ser injetado na camada mais superficial da região tratada, o ácido devolve o volume perdido e traz um aspecto de jovialidade.

Polimetilmetacrilato (PMMA)

O PMMA é biocompatível, entretanto, é uma substância sintética não absorvida pelo corpo. Por esse motivo, a indicação de uso é apenas para pequenas quantidades, pois há risco de alergias e reações adversas graves.

Apesar de ser liberado pela ANVISA, orienta-se que seja utilizado para correção da lipodistrofia facial, muitas vezes causada por medicamentos contra AIDS. A Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e a Sociedade Brasileira de Dermatologia não recomendam seu uso apenas para fins estéticos.

Indutores de colágeno 

Estas substâncias, quando injetadas na pele, induzem a produção local de novas fibras de colágeno. O resultado é uma pele mais elástica, menos flácida e com aspecto mais jovem, melhorando as rugas e linhas de expressão.

Duração do preenchimento facial

Os resultados são percebidos já na primeira sessão de tratamento, que proporciona uma aparência bastante natural. Devido à variedade de produtos, fica impossível estabelecer um tempo exato de duração dos efeitos. Isso porque o resultado também vai depender da região tratada, tipo de pele e capacidade de resposta de cada organismo. 

O tempo médio de duração do preenchimento facial costuma ser em torno de seis meses a um ano. Porém, o médico avalia cada caso individualmente para estabelecer a necessidade do retorno.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião plástico em São Paulo!

Posted by Dr. Rodolfo Oliveira in Todos
Como acabar com os seios caídos?

Como acabar com os seios caídos?

Seios caídos é um problema estético que incomoda mulheres em diversas faixas etárias. É isso mesmo! A ptose mamária, termo utilizado no meio médico para designar a condição, pode ocorrer tanto em decorrência da idade, nas mulheres mais velhas, quanto em adolescentes.

As mamas costumam ser consideradas elementos fortes da feminilidade. Por esse motivo, exerce papel importante na imagem que a mulher tem do seu próprio corpo, sendo uma parte bastante valorizada por elas. Dessa forma, quando os seios apresentam flacidez exagerada, podem se tornar um prejuízo para autoestima da pessoa.

A boa notícia é que existem formas de acabar com o problema e, até mesmo preveni-lo. Quer saber mais sobre o assunto? Acompanhe a leitura.

 Seios caídos? Entenda as causas

Cada mulher pode manifestar um motivo diferente para a ptose mamária. Entre os principais, podemos citar:

Diminuição da produção de colágeno – As fibras de colágeno são responsáveis por manter a firmeza da pele. Com a diminuição dessa substância no organismo, as estruturas se tornam mais flácidas, favorecendo o aparecimento do problema.

Ganho ou perda excessiva de peso – O aumento da gordura corporal aumenta o volume do seio, causando o afrouxamento de suas estruturas. Já a perda de peso excessiva provoca excesso de pele que, sem o volume, torna-se murcha. 

Gravidez – É comum que o ganho de volume dos seios durante a gravidez favoreça a redução da firmeza de suas estruturas. Durante a amamentação, é comum haver a perda da gordura adquirida na gravidez, assim os seios ficam com um aspecto caído.

Hereditariedade – O histórico familiar também tem grande influência sobre o surgimento da ptose.

Como resolver o problema?

A indústria de produtos cosméticos já disponibiliza uma infinidade de cremes firmadores prometendo eliminar a flacidez da pele dos seios. Contudo, esse é um método mais eficaz na prevenção do que no tratamento em si. Uma vez que as estruturas que mantém as mamas no lugar já sofreram alterações, apenas a ação dos cremes não será suficiente para voltá-las ao lugar.

Procedimentos estéticos, como a radiofrequência e exercícios físicos para fortalecer a musculatura podem ter algum resultado no tratamento. No entanto, quando o caso é mais grave, a cirurgia plástica é indicada.

Essa cirurgia recebe o nome de mastopexia. Ela consiste em retirar o excesso de pele e remodelar o tecido mamário, os mamilos e as aréolas, de modo a devolver o aspecto de rigidez e firmeza do seio.

A mastopexia pode ser associada à colocação de implantes de silicone, modelando ainda mais as mamas, dando a forma e o volume de acordo com a expectativa da paciente.

É possível evitar os seios caídos?

Como citado anteriormente, os cremes de tratamento são boas alternativas para fortalecer a pele do local e conseguir resultados de longo prazo.

Além deles, os exercícios também servem para prevenir a ptose futura, uma vez que os músculos trabalhados se tornam mais rígidos. 

Outra opção para prevenir os seios caídos é utilizar o sutiã adequado para o tipo do corpo e tamanho dos seios. Essas peças tem um grande poder de sustentação e evitam a ação da gravidade durante as atividades do dia a dia, postergando o aparecimento do problema.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião plástico em São Paulo!

Posted by Dr. Rodolfo Oliveira in Todos
Lipoescultura: como é o pós-operatório

Lipoescultura: como é o pós-operatório

A lipoescultura é um procedimento estético invasivo que pode ser realizado tanto em homens quanto em mulheres. Seu objetivo é modelar o contorno corporal, deixando-o mais harmônico, de acordo com as expectativas do paciente.

Esse procedimento é a união de duas cirurgias plásticas: a lipoaspiração e a lipoenxertia. Ele funciona aspirando a gordura localizada em excesso de alguma região do corpo e enxertando em outro local com menos volume. 

A técnica pode ser utilizada em diversas partes do corpo que acumulam tecido adiposo, como papada, abdomen, quadris e glúteos, e a gordura retirada pode ser realocada em áreas como pernas, glúteos, sulcos do rosto e panturrilhas.

De forma geral, esse é um procedimento simples e muito procurado nos consultórios de cirurgia plástica. Porém, devido à agressividade da técnica, é importante que o paciente entenda como a cirurgia funciona e siga corretamente as recomendações pós-operatórias para chegar a um resultado satisfatório.

Como é feita a cirurgia 

Em média, a duração de uma lipoescultura oscila entre 1 e 2 horas. Isso vai depender da quantidade de gordura aspirada e realocada, que pode variar entre 2 a 4 litros.O cirurgião plástico é quem define o volume correto a ser retirado, levando em consideração o tipo de corpo do paciente e sua saúde geral.

Assim como a quantidade de gordura retirada, a anestesia também será definida pelo médico. Cada região tem indicações próprias, abdomen e coxas têm indicação para anestesia peridural, já os braços utiliza-se apenas sedação. Essa questão poderá mudar se o médico achar necessário.

Após marcar a região corretamente, o cirurgião introduz tubos muito finos, chamados de cânulas, para aspirar a gordura, que será separada do sangue por uma centrífuga e reinserida em um novo local. A aplicação da gordura é feita por meio de uma seringa.

O que esperar do pós-operatório da lipoescultura

A lipoescultura precisa ser realizada em local adequado e liberado pela ANVISA para cirurgias desse porte. A alta da internação, normalmente, é dada ao paciente no mesmo dia. Os pontos são removidos por volta de uma semana.

É bem comum a pessoa sentir dores fortes e perceber a presença de hematomas a área da cirurgia, assim como bastante inchaço.

Embora não haja risco dessa gordura ser rejeitada pelo corpo, é durante as 48 horas após o procedimento que os principais cuidados devem ser tomados. O paciente precisará utilizar uma cinta elástica que comprime o local operado. Além disso, é necessário ficar deitado, sem fazer qualquer esforço, a não ser movimentar as pernas constantemente para impedir o surgimento de coágulos.

Nos primeiros 15 dias o recomendado é não haver esforço na região do corpo enxertado para que a modelagem não seja prejudicada. Medicamentos devem ser receitados apenas pelo médico.

O efeito da lipoescultura já consegue ser percebido logo após a cirurgia. Porém, como toda a área ainda apresentará algum inchaço e dor, o resultado final só será visualizado dentro de 30 dias após o procedimento. Toda dúvida em relação ao pós-operatório deverá ser discutida com o seu médico.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião plástico em São Paulo!

Posted by Dr. Rodolfo Oliveira in Todos
Silicone em homens: conheça o procedimento para aumentar o peitoral

Silicone em homens: conheça o procedimento para aumentar o peitoral



Há muito tempo a cirurgia plástica deixou de ser de interesse apenas das mulheres. Muitos homens têm se voltado à medicina estética como forma de valorizar suas curvas ou potencializar estruturas anatômicas, deixando o corpo mais atraente, com aspecto saudável e elevando a autoestima e a confiança. O uso de silicone em homens já é uma realidade e vem ganhando cada vez mais popularidade entre famosos e anônimos. Confira em seguida tudo sobre uma das principais intervenções realizadas em homens: o aumento de peitoral. 

O aumento de peitoral

Esse procedimento consiste na introdução de próteses sob a musculatura peitoral. Ele é mais comumente utilizado para fins estéticos. Contudo, para portadores da Síndrome de Poland, uma patologia que afeta as estruturas da musculatura peitoral, é uma alternativa de reconstrução.  

O processo é similar ao implante de próteses realizado em mulheres. Nos homens, a incisão é feita pelas axilas, onde é colocada a prótese escolhida, em direção ao músculo peitoral. No entanto, há diferenças nas próteses femininas e masculinas. As masculinas são quadradas, firmes e rígidas, enquanto as femininas têm o formato arredondado. 

O procedimento 

A intervenção cirúrgica normalmente é feita com anestesia local e aplicação de um sedativo. A incisão é nas axilas, o que favorece o encobrimento das cicatrizes. O indivíduo deve ficar atento aos cuidados necessários no período no pós-operatório, que são similares aos da mamoplastia de aumento.

Os movimentos da parte superior do corpo ficam limitados e, por isso, é essencial que sejam evitadas quaisquer atividades físicas ou movimentos de grande amplitude com os braços. Há recomendação de repouso por aproximadamente 7 dias. Após 14 dias podem-se realizar atividade leves e moderadas. Passados 30 dias, é possível realizar as atividades cotidianas regularmente.

A recuperação tende a não ser dolorida, em virtude da medicação prescrita. Contudo é um fator variante e depende de serem seguidas adequada e corretamente as orientações dadas pelo cirurgião plástico. O resultado definitivo pode ser visualizado após 6 meses de cirurgia, quando as incisões estão devidamente cicatrizadas. O retorno às atividades de musculação é apropriado depois do período de recuperação pós-operatório. Nos primeiros momentos, o indivíduo poderá sentir desconforto e um pouco de dor ao realizar exercícios físicos, mas é uma condição é temporária.

Silicone em homens além do peitoral

Embora o aumento do peitoral seja uma das principais cirurgias plásticas buscadas por homens, outras intervenções têm crescido entre eles. Há implantes para braços e pernas, abdômen, panturrilha, bem como glúteos. Com exceção das utilizadas no peitoral, não há diferença significativa no uso das próteses de silicone em homens e em mulheres. Entretanto, algumas áreas do corpo têm maior propensão a receber impactos e choques mecânicos. Dessa forma é preciso conversar com o médico para sanar todas as dúvidas antes de optar por qualquer procedimento cirúrgico.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião plástico em São Paulo!



Posted by Dr. Rodolfo Oliveira in Todos
Mamoplastia de redução: quando é indicada?

Mamoplastia de redução: quando é indicada?



O tamanho das mamas é um dos grandes motivos de descontentamento das mulheres com o próprio corpo. Nos últimos anos houve um aumento exponencial de cirurgias de mama, em especial a mamoplastia de aumento, e outras que dão mais forma e firmeza aos seios. Contudo, nem sempre uma cirurgia plástica é apenas estética. É esse o caso da mamoplastia de redução, que, embora tenha também fins estéticos, favorece a saúde e aumenta a qualidade de vida das mulheres. Confira mais informações e indicações para esse tipo de cirurgia. 

O que é a mamoplastia de redução? 

A mamoplastia de redução, ou redutora, é uma intervenção cirúrgica que retira gordura, tecido glandular e pele dos seios, reduzindo, assim, seu volume e peso.

Quando é indicada? 

Todo procedimento cirúrgico deve ser analisado de maneira individualizada para que as soluções sejam condizentes com a anatomia e necessidades do indivíduo. A necessidade da realização da mamoplastia de redução deve ser discutida com o cirurgião plástico, que pode, conforme o caso, oferecer outras alternativas. Desse modo, a escolha pelo procedimento é feita de forma consciente e assertiva.  

A cirurgia é indicada quando a mulher não se sente confortável com o tamanho e volume dos seios. O desconforto pode surgir por uma dificuldade em realizar atividades físicas ou pela ocorrência de dor nas costas, ombros e pescoço devida ao tamanho dos seios. Não é incomum que as mulheres que se submetem à mamoplastia redutora apresentem marcas profundas na altura das alças do sutiã, causadas pelo excesso do peso dos seio, assim como seios pendurados e flácidos. Outro motivo comum é o constrangimento causado por seios excessivamente grandes, que chamam muita atenção.

Algumas orientações e esclarecimentos 

Apesar de o procedimento acontecer depois do desenvolvimento completo das mamas, é possível que a cirurgia seja uma alternativa se, ainda na adolescência, a saúde da menina esteja sendo prejudicada. Contudo, a indicação só é levada em consideração depois de avaliação minuciosa do cirurgião plástico. 

O cirurgião precisa, além de realizar os exames para atestar a saúde da mulher, conhecer seus hábitos de vida, pois isso pode influenciar as decisões dele durante o procedimento. A partir dessa conversa de avaliação que a mulher terá todas as informações necessárias, inclusive com relação aos riscos do procedimento e cuidados pós-operatórios.  

A mamoplastia de redução é um recurso importante para aumento de autoestima e retomada da confiança da mulher. No entanto, a decisão de submeter-se a intervenção cirúrgica deve ser tomada juntamente com o cirurgião plástico. Além disso, só deve ser realizada depois de serem sanadas todas as dúvidas. Após a cirurgia, todos os cuidados pós-operatórios devem ser seguidos, a fim de se minimizar a possibilidade de complicações.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião plástico em São Paulo!



Posted by Dr. Rodolfo Oliveira in Todos