cirurgia plástica

Seios com silicone podem agradar todos os gostos

Seios com silicone podem agradar todos os gostos

Os seios com silicone muito marcados do passado poderiam não agradar todas as mulheres, mas as próteses atuais permitem formatos cada vez mais parecidos com o natural do corpo feminino.

Veja nesse post, como colocar silicone nos seios pode alegrar as mulheres de variadas preferências.

Continue reading →
Posted by DR. RODOLFO OLIVEIRA in cirurgia plástica, Mamoplastia
Miniabdominoplastia: entenda se você  pode fazer

Miniabdominoplastia: entenda se você pode fazer

As técnicas de cirurgia plástica evoluem constantemente, entre esses avanços, uma cirurgia  importante é a miniabdominoplastia.

Leia neste post como é miniabdominoplastia e quem pode se submeter ao procedimento.

Como é feita a miniabdominoplastia?

A miniabdominoplastia é uma cirurgia na barriga indicada para  eliminação da  flacidez leve na região suprapúbica ou abaixo do umbigo. Em geral, quem recebe indicação são pacientes magras, mas que sofreram uma distensão da pele após uma gravidez ou devido ao envelhecimento.

Pode ser chamada de uma versão reduzida da abdominoplastia porque vai atingir uma área menor, com uma retirada de pele pequena, o que vai resultar  em uma cicatriz também menor em relação ao procedimento tradicional

A abdominoplastia tradicional vai promover um corte de um osso ao outro do quadril para retirar toda a flacidez e gordura de todo o abdômen.

Com a técnica da miniabdominoplastia, o cirurgião vai acessar os músculos centrais do abdômen, fazer uma sutura contínua no local para promover uma melhor contração e tornar a região suprapúbica mais retinha e delineada.

Uma miniabdominoplastia com lipo poderá também ser indicada para retirada de excessos de gordura para resultados mais efetivos.

Quando a miniabdominoplastia vale a pena?

Para ser candidata a uma miniabdominoplastia, a indicação deve ser precisa e a paciente precisa cumprir alguns pré-requisitos: ter pouca flacidez na barriga,  essa pele flácida deve estar concentrada abaixo do umbigo e no abdômen superior ter muito pouca ou praticamente nenhuma flacidez.

Essas podem ser características de mulheres que tiveram um certa distensão na barriga após a gravidez, porém, mantiveram um ritmo de exercícios físicos que, de certa forma, preservaram os contornos abdominais.

Essa é uma diferença entre miniabdominoplastia e abdominoplastia. A segunda opção será indicada para pacientes mais sedentárias, que não são adeptas de exercícios físicos, nas quais a flacidez poderá ser bem mais acentuada.

 Para ser candidata a uma miniabdominoplastia, a indicação deve ser precisa e a paciente precisa cumprir alguns pré-requisitos: ter pouca flacidez na barriga, essa pele flácida deve estar concentrada abaixo do umbigo e no abdômen superior ter muito pouca ou praticamente nenhuma flacidez. Essas podem ser características de mulheres que tiveram um certa distensão na barriga após a gravidez, porém, mantiveram um ritmo de exercícios físicos que, de certa forma, preservaram os contornos abdominais. Essa é uma diferença entre miniabdominoplastia e abdominoplastia. A segunda opção será indicada para pacientes mais sedentárias, que não são adeptas de exercícios físicos, nas quais a flacidez poderá ser bem mais acentuada.

 

Miniabdominoplastia: cicatriz menor

Cicatrizes são inevitáveis em cirurgias plásticas, por exemplo, quem faz uma cirurgia  mamoplastia redutora nos seios terá uma cicatriz de mamoplastia. No entanto, no caso da miniabdominoplastia, o corte será um pouco maior do que o tamanho da incisão da cesárea e menor do que na cirurgia clássica de abdominoplastia.

Além da cicatriz dessa plástica na barriga ser menor, outra diferença importante em relação ao procedimento tradicional é a ausência de cicatriz ao redor do umbigo, porque, neste caso, a  pele só é levantada para expor a musculatura abdominal até o umbigo e o descolamento da pele é realizado em túnel, ao redor dos músculos retoabdominais. O umbigo ficará preso na pele, mas cortado em sua base na parede abdominal. 

À medida que a pele for puxada para baixo, o umbigo vem junto, o que representa uma mudança muito pequena em sua altura em relação ao espaço que ocupava antes na barriga.

Na abdominoplastia padrão, há um corte em torno do umbigo, porque há o descolamento total da pele para expor toda a musculatura abdominal, inclusive da região do umbigo.

Miniabdominoplastia estendida

No entanto, há também uma versão estendida da miniabdominoplastia, que faz a ressecção de pele nas laterais da região da barriga, não somente na parte central, então a cicatriz vai se estender até os flancos. Essa incisão maior é necessária para poder tracionar uma quantidade maior de pele.

Nesta abdominoplastia mini estendida, também é possível fazer um descolamento da musculatura superior do abdômen, até próximo aos seios para fazer a costura de toda a musculatura do retoabdominal, que é a região conhecida como tanquinho.

A abdominoplastia estendida pode ser indicada para pacientes que já realizaram uma abdominoplastia, mas continuaram com excesso de pele nas laterais ou por ter engordado ou até mesmo passado por uma gestação. 

Outro caso indicado para miniabdominoplastia é quando a paciente teve uma gravidez de gêmeos ou duas gestações, por exemplo, mas não ficou com flacidez para realizar uma abdominoplastia tradicional, mas também não são adequadas para uma miniabdominoplastia simples devido ao excesso de pele nas laterais.

Nesta miniabdominoplastia o antes e depois terá uma diferença básica na cicatriz, que vai ficar bem mais baixa e também não terá incisões em torno do umbigo. 

Miniabdominoplastia: cicatriz menor  Cicatrizes são inevitáveis em cirurgias plásticas, por exemplo, quem faz uma cirurgia  mamoplastia redutora nos seios terá uma cicatriz de mamoplastia. No entanto, no caso da miniabdominoplastia, o corte será um pouco maior do que o tamanho da incisão da cesárea e menor do que na cirurgia clássica de abdominoplastia.  Além da cicatriz dessa plástica na barriga ser menor, outra diferença importante em relação ao procedimento tradicional é a ausência de cicatriz ao redor do umbigo, porque, neste caso, a  pele só é levantada para expor a musculatura abdominal até o umbigo e o descolamento da pele é realizado em túnel, ao redor dos músculos retoabdominais. O umbigo ficará preso na pele, mas cortado em sua base na parede abdominal.   À medida que a pele for puxada para baixo, o umbigo vem junto, o que representa uma mudança muito pequena em sua altura em relação ao espaço que ocupava antes na barriga.  Na abdominoplastia padrão, há um corte em torno do umbigo, porque há o descolamento total da pele para expor toda a musculatura abdominal, inclusive da região do umbigo.  Miniabdominoplastia estendida  No entanto, há também uma versão estendida da miniabdominoplastia, que faz a ressecção de pele nas laterais da região da barriga, não somente na parte central, então a cicatriz vai se estender até os flancos. Essa incisão maior é necessária para poder tracionar uma quantidade maior de pele.  Nesta abdominoplastia mini estendida, também é possível fazer um descolamento da musculatura superior do abdômen, até próximo aos seios para fazer a costura de toda a musculatura do retoabdominal, que é a região conhecida como tanquinho.  A abdominoplastia estendida pode ser indicada para pacientes que já realizaram uma abdominoplastia, mas continuaram com excesso de pele nas laterais ou por ter engordado ou até mesmo passado por uma gestação.   Outro caso indicado para miniabdominoplastia é quando a paciente teve uma gravidez de gêmeos ou duas gestações, por exemplo, mas não ficou com flacidez para realizar uma abdominoplastia tradicional, mas também não são adequadas para uma miniabdominoplastia simples devido ao excesso de pele nas laterais.  Nesta miniabdominoplastia o antes e depois terá uma diferença básica na cicatriz, que vai ficar bem mais baixa e também não terá incisões em torno do umbigo. 

Cirurgião vai avaliar o procedimento mais indicado

Assim como na abdominoplastia, o cirurgião vai realizar uma avaliação física e fazer todos os testes necessários para indicar o melhor procedimento. Também serão indicados todos os exames laboratoriais para atestar a boa saúde da paciente para a cirurgia.

O médico também vai abordar sobre os riscos que ocorrem todas as cirurgias como infecções, hematomas e até uma cicatriz tardia, além de uma possibilidade de queloide em pacientes que têm essa propensão. Outro efeito colateral poderá ser uma dormência na região, que será eliminada com o tempo.

Antes da cirurgia será recomendado que os pacientes não bebam, fumem ou consumam medicamentos que possam estimular o sangramento.

A cirurgia será realizada em ambiente hospitalar, com anestesia peridural ou raquidiana com sedação ou anestesia geral. O procedimento pode durar de 1 a 3 horas.

O tempo de internação para esse tipo de cirurgia também costuma ser mais rápido, em torno de 12 horas.

Pós-operatório da miniabdominoplastia 

Na miniabdominoplastia, com diástase corrigida, o pós-operatório tende a ser bem tranquilo. Muitos pacientes não relatam dores, porém, o cirurgião costuma indicar analgésicos para eliminar qualquer desconforto.

Assim como no procedimento clássico, serão indicadas sessões de drenagem linfática para eliminar líquidos. Ao menos, 10 sessões devem ser cumpridas.

Além disso, o uso da cinta também é imprescindível durante 30 dias, assim como será indicado não fazer esforços ou pegar pesos por 30 dias, não voltar às atividades físicas ou se expor ao sol sem indicação médica.

Conclusão:  antes e depois da miniabdominoplastia 

Na miniabdominoplastia, antes e depois terá uma linha divisória muito perceptível. Se aquela barriguinha mais projetada incomodava antes da cirurgia, a paciente vai perceber que depois do procedimento terá ganhado contornos muito mais retilíneos e atraentes. 

Essa percepção poderá resultar em uma autoestima mais elevada e confiança para colocar certos tipos de roupa, sem a necessidade de ficar se policiando para tentar encolher a barriga toda hora. 

Esse é um efeito da cirurgia plástica, proporcionar uma melhor imagem sobre si mesmo, não importa se é para quem está buscando tipos de prótese de silicone para o seios ou se é uma correção do abdômen. Porém, vale alertar que toda cirurgia de efeito estético deve resultar de uma decisão bem pensada, que seja fruto da vontade do paciente de agradar a si mesmo, e não aos outros ou padrões sociais.

ebook mastopexia cirurgia para mamas flácidas

Posted by DR. RODOLFO OLIVEIRA in cirurgia plástica
Silicone antes e depois: tudo o que você precisa saber

Silicone antes e depois: tudo o que você precisa saber

Quem pretende fazer uma mamoplastia de aumento precisa ter o devido entendimento da colocação do silicone, antes e depois do procedimento.

Cada etapa vai exigir certas iniciativas e a paciente precisa saber exatamente o que deve ser realizado em cada uma delas e o que pode vir antes e depois do implante,  para fazer a sua tomada de decisão de forma consciente e segura. Veja mais nesse post.

Continue reading →

Posted by DR. RODOLFO OLIVEIRA in cirurgia plástica, Mamoplastia
Mama tuberosa: como a cirurgia pode resolver?

Mama tuberosa: como a cirurgia pode resolver?

A mama tuberosa é um termo utilizado para definir algumas deformidades mamárias. Mas você sabe o que é isso?

Um dos grandes problemas que a deformidade tuberosa da mama traz são as questões psicológicas e emocionais para as pacientes.

Se você está se perguntando: “Como saber se tenho mama tuberosa?” Leia todo esse post para obter as respostas.  

Continue reading →

Posted by DR. RODOLFO OLIVEIRA in cirurgia plástica, Mamoplastia
Tipos de seios: saiba qual é o seu

Tipos de seios: saiba qual é o seu

Cada mulher é única e manifesta suas diferenças em biotipo e personalidade. Mas você sabia que até os tipos de seios delas são diferentes

Muitas mulheres não gostam dos tipos e formatos dos próprios seios, e usam recursos dos sutiãs especial para disfarçá-los, já outras buscam a cirurgia plástica para remodelá-los, por exemplo, com uma mamoplastia de aumento. Se você quer saber quais os formatos de seio, veja mais nesse post.

Continue reading →

Posted by DR. RODOLFO OLIVEIRA in cirurgia plástica, Mamoplastia
Mastopexia: o que é e para quem é indicada?

Mastopexia: o que é e para quem é indicada?

Mastopexia? O que é? Esse é um procedimento muito indicado para as mulheres que querem redesenhar o formato dos seus seios.

Saiba mais nesse post sobre esse tipo de cirurgia, que está entre as mais procuradas do público feminino, e pode trazer mais autoestima para as mulheres. 

Continue reading →

Posted by DR. RODOLFO OLIVEIRA in cirurgia plástica, Mamoplastia
Cicatriz mastopexia: como melhorar marcas após o procedimento

Cicatriz mastopexia: como melhorar marcas após o procedimento

A cicatriz de mastopexia é um fato com o qual as pacientes que passaram pelo lifting de mama vão ter que conviver por um certo tempo. Mas saiba que os cuidados certos poderão evitar muitos problemas.

Por isso, preparamos um post para responder todas as dúvidas sobre a cicatriz no procedimento, um assunto muito importante para quem pensa em realizar essa cirurgia. Acompanhe!

Continue reading →

Posted by DR. RODOLFO OLIVEIRA in cirurgia plástica, Mamoplastia
Redução de mama com prótese é possível?

Redução de mama com prótese é possível?

A redução de mama com prótese, além de aumentar a autoestima, também traz de volta a qualidade de vida das pacientes, já que muitas relatam dores na coluna provenientes do tamanho dos seios. Mas se vai reduzir, por que a prótese?

Leia o post abaixo e entenda tudo sobre a mamoplastia redutora, comumente conhecida como cirurgia de redução de mama.

Continue reading →

Posted by DR. RODOLFO OLIVEIRA in cirurgia plástica, Mamoplastia