A mama tuberosa é um termo utilizado para definir algumas deformidades mamárias. Mas você sabe o que é isso? Um dos grandes problemas que a deformidade tuberosa da mama traz são as questões psicológicas e emocionais para as pacientes. Se você está se perguntando: “Como saber se tenho mama tuberosa?” Leia todo esse post para obter as respostas. O que é mama tuberosa? A mama tuberosa é resultado de uma malformação que vai resultar em seios assimétricos. Esse é um problema que ocorre por anomalia congênita. Usualmente, uma mama se desenvolve de forma normal e a outra fica atrofiada. Porém, as mamas tuberosas podem ocorrer também bilateralmente. Quando é unilateral, a mama que fica menor se posiciona numa posição mais alta no tórax, além de ter um formato diferente, com uma base estreita e que resulta em uma forma mais pontiaguda, semelhante a um tubo, por isso, o nome é tuberosa ou tubular. Quando ocorrem bilateralmente têm o mesmo formato e também ficam acima do sulco mamário. Em muitos casos, as mamas tuberosas tubulares têm uma aréola bem alargada, os seios são muito pouco desenvolvidos (hipoplasia mamária) e o próprio conteúdo da mama empurra o bico do seio para frente. Além disso, as mamas também costumam ficar bem separadas uma da outra. Esse problema se apresenta já no início da puberdade, quando as meninas começam a perceber o desenvolvimento dos seios. Segundo uma publicação da Revista Brasileira de Cirurgia Plástica, a mama tuberosa na adolescência pode impactar negativamente na saúde mental das jovens, que poderão desenvolver baixa autoestima e ter sua capacidade de interação social e bem-estar prejudicados, de acordo com estudos do Dr. Brian Labow, do Hospital Infantil de Boston. Esse problema costuma ser dividido em 3 tipos de mamas tuberosas: Tipo 1 Na mama tuberosa Tipo 1, a diferença entre os tamanhos das mamas não é tão grande, porém, o formato pontiagudo com base estreita é característico. Normalmente, representam os casos com maior incidência. Tipo 2 Neste caso, a assimetria é acentuada, e o sulco fica mais elevado e o formato da mama tuberosa é ainda mais cônico. Tipo 3 É o caso mais grave, com atrofia quase completa do conteúdo do mamário, e aréola bastante pontiaguda. É possível corrigir com cirurgia plástica? Assim como as mulheres que têm seios excessivamente grandes, que podem fazer uma mamoplastia redutora, aquelas que têm mamas tuberosas também podem usar o recurso da cirurgia plástica para corrigir o problema e reverter a baixa autoestima. Para todos os tipos, a mamoplastia da mama tuberosa servirá para dar simetria ao formato dos seios. Mas, quanto mais grave o grau da tuberosidade da mama, maior será a dificuldade cirúrgica. Os tipos 1 e 2 de mamas tuberosas são mais fáceis para uma intervenção cirúrgica, já o tipo 3 representa um grande desafio para os cirurgiões plásticos. Nestes casos, a correção pode ser realizada por diferentes técnicas, desde o implante de prótese de silicone anatômicas, mastopexia até reconstrução da mama e aréolas. Nos casos de mama tuberosa tipo 1, a correção poderá ser realizada por meio do implante de silicone de tamanhos diferentes, para harmonizá-las em tamanho e na posição do tórax, baixando o sulco mamário, deixando o seio na posição correta, além de proporcionar mais volume. Ainda assim, não se trata de uma mamoplastia de aumento usual. Já nos tipos 2 e 3 a correção cirúrgica pode ser realizada através da aréola para realizar a liberação de fibroses que existem dentro das mamas. A cirurgia vai realizar a ressecção dos anéis que fazem o formato tubular do seio, para causar a liberação de pele e tecidos e ganhar em elasticidade para permitir que a prótese seja acomodada. Em alguns casos mais graves, a mama tuberosa com silicone pode não ser o suficiente para fazer a correção, assim, também é possível uma lipoenxertia, que é uma técnica que possibilita o uso da gordura do próprio corpo. Cirurgia plástica ajuda nas questões emocionais De acordo com o tipo da deformidade não será possível que a mama fique exatamente no formato que a paciente tem como inspiração. Mas, certamente, a mama tuberosa antes e depois vai se revelar muito diferente e satisfatória. A grande transformação que vai acontecer, permitindo que a mama fique com o formato muito mais próximo do comum, vai causar uma grande satisfação para a paciente, o que poderá minimizar muito as questões psicológicas e emocionais que foram causadas pelo problema. Ainda assim, em muitos casos, os cirurgiões plásticos podem indicar que a paciente continue com tratamentos psicológicos para trabalhar a aceitação da nova forma do corpo. Normalmente, as cirurgias plásticas nos seios são indicadas quando as mamas estão totalmente formadas, por isso, uma boa idade para buscar a cirurgia para esse problema é a partir dos 18 anos. É possível fazer cirurgia de mama tuberosa no SUS, porém, o maior problema é a grande demora que a mulher pode ter que suportar até resolver o seu problema no serviço público de saúde. Mama tuberosa antes e depois da cirurgia As pacientes vão passar pelos mesmos procedimentos de uma cirurgia plástica normal. Em primeiro lugar acontece a consulta, investigação de histórico médico, tomada de medidas dos seios, tórax e ombros para escolher a prótese mais adequada, solicitação de exames pré-cirúrgicos, etc. Como envolve muitos procedimentos, o pós-cirúrgico de mamas tuberosas também pode apresentar hematomas e inchaços, mas que costumam sumir em pouco tempo. As pacientes também necessitam respeitar alguns cuidados, que são: Usar sutiã especial por 30 dias; Não fazer exercícios físicos e movimentos bruscos com os braços por um mês; Dormir de barriga para cima, por 30 dias; Não fazer exposição direta do sol no local da cirurgia. Conclusão Uma mulher que sofre com esse problema precisa saber que existe solução cirúrgica para o seu caso. Muitas vezes, elas ouvem falar em mamas tuberosas mas nem sempre têm a informação adequada. Por isso, é importante buscar um bom profissional que esclareça suas dúvidas e apresente opções. E mesmo que você não tenha o problema, mas agora que já sabe sobre mama tuberosa, o que é e como cuidar, pode conversar com uma amiga, sobrinha ou filha que tenha esse problema e indicar que existe uma forma de tratar.

Mama tuberosa: como a cirurgia pode resolver?

A mama tuberosa é um termo utilizado para definir algumas deformidades mamárias. Mas você sabe o que é isso?

Um dos grandes problemas que a deformidade tuberosa da mama traz são as questões psicológicas e emocionais para as pacientes.

Se você está se perguntando: “Como saber se tenho mama tuberosa?” Leia todo esse post para obter as respostas.  

O que é mama tuberosa?

A mama tuberosa é resultado de uma malformação que vai resultar em seios assimétricos. Esse é um problema que ocorre por anomalia congênita. 

Usualmente, uma mama se desenvolve de forma normal e a outra fica atrofiada. Porém, as mamas tuberosas podem ocorrer também bilateralmente. 

Quando é unilateral, a mama que fica menor se posiciona numa posição mais alta no tórax, além de ter um formato diferente, com uma base estreita e que resulta em uma forma mais pontiaguda, semelhante a um tubo, por isso, o nome é tuberosa ou tubular. Quando ocorrem bilateralmente têm o mesmo formato e também ficam acima do sulco mamário.

Em muitos casos, as mamas tuberosas tubulares têm uma aréola bem alargada, os seios são muito pouco desenvolvidos (hipoplasia mamária) e o próprio conteúdo da mama empurra o bico do seio para frente. Além disso, as mamas também costumam ficar bem separadas uma da outra.

Esse problema se apresenta já no início da puberdade, quando as meninas começam a perceber o desenvolvimento dos seios.

Segundo uma publicação da Revista Brasileira de Cirurgia Plástica, a mama tuberosa na adolescência pode impactar negativamente na saúde mental das jovens, que poderão desenvolver baixa autoestima e ter sua capacidade de interação social e bem-estar prejudicados, de acordo com estudos do Dr. Brian Labow, do Hospital Infantil de Boston.

Esse problema costuma ser dividido em 3 tipos de mamas tuberosas:

Esse problema costuma ser dividido em 3 tipos de mamas tuberosas: Tipo 1 Na mama tuberosa Tipo 1,  a diferença entre os tamanhos das mamas não é tão grande, porém, o formato pontiagudo com base estreita é característico. Normalmente, representam os casos com maior incidência. Tipo 2 Neste caso, a assimetria é acentuada, e o sulco fica mais elevado e o formato da mama tuberosa é ainda mais cônico. Tipo 3 É o caso mais grave, com atrofia quase completa do conteúdo do mamário, e aréola bastante pontiaguda.

É possível corrigir com cirurgia plástica?

Assim como as mulheres que têm seios excessivamente grandes, que podem fazer uma mamoplastia redutora, aquelas que têm mamas tuberosas também podem usar o recurso da cirurgia plástica para corrigir o problema e reverter a baixa autoestima.

Para todos os tipos, a mamoplastia da mama tuberosa  servirá para dar simetria ao formato dos seios. Mas, quanto mais grave o grau da tuberosidade da mama, maior será a dificuldade cirúrgica. 

Os tipos 1 e 2 de mamas tuberosas são mais fáceis para uma intervenção cirúrgica, já o tipo 3 representa um grande desafio para os cirurgiões plásticos.

Nestes casos, a correção pode ser realizada por diferentes técnicas, desde o implante de  prótese de silicone anatômicas,  mastopexia até reconstrução da mama e aréolas.

Nos casos de mama tuberosa tipo 1, a correção poderá ser realizada por meio do implante de silicone de tamanhos diferentes, para harmonizá-las em tamanho e na posição do tórax, baixando o sulco mamário, deixando o seio na posição correta, além de proporcionar mais volume.  Ainda assim, não se trata de uma mamoplastia de aumento usual.

Já nos tipos 2 e 3 a correção cirúrgica pode ser realizada através da aréola para realizar a liberação de fibroses que existem dentro das mamas. A cirurgia vai realizar a ressecção dos anéis que fazem o formato tubular do seio, para causar a liberação de pele e tecidos e ganhar em elasticidade para permitir que a prótese seja acomodada.

Em alguns casos mais graves, a mama tuberosa com silicone pode não ser o suficiente para fazer a correção, assim, também é possível uma lipoenxertia, que é uma técnica que possibilita o uso da gordura do próprio corpo.

Cirurgia plástica ajuda nas questões emocionais

De acordo com o tipo da deformidade não será possível que a mama fique exatamente no formato que a paciente tem como inspiração. Mas, certamente, a mama tuberosa antes e depois vai se revelar muito diferente e satisfatória.

A grande transformação que vai acontecer, permitindo que a mama fique com o formato muito mais próximo do comum, vai causar uma grande satisfação para a paciente, o que poderá minimizar muito as questões psicológicas e emocionais que foram causadas pelo problema.

Ainda assim, em muitos casos, os cirurgiões plásticos podem indicar que a paciente continue com tratamentos psicológicos para trabalhar a aceitação da nova forma do corpo.

Normalmente, as cirurgias plásticas nos seios são indicadas quando as mamas estão totalmente formadas, por isso, uma boa idade para buscar a cirurgia para esse problema é a partir dos 18 anos.

É possível fazer cirurgia de mama tuberosa no SUS, porém, o maior problema é a grande demora que a mulher pode ter que suportar até resolver o seu problema no serviço público de saúde.  

Mama tuberosa antes e depois da cirurgia

As pacientes vão passar pelos mesmos procedimentos de uma cirurgia plástica normal. Em primeiro lugar  acontece a consulta, investigação de histórico médico, tomada de medidas dos seios, tórax e ombros para escolher a prótese mais adequada, solicitação de exames pré-cirúrgicos, etc.

Como envolve muitos procedimentos, o pós-cirúrgico de mamas tuberosas também pode apresentar hematomas e inchaços, mas que costumam sumir em pouco tempo.

As pacientes também necessitam respeitar alguns cuidados, que são:

  • Usar sutiã especial por 30 dias;
  • Não fazer exercícios físicos e movimentos bruscos com os braços por um mês;
  • Dormir de barriga para cima, por 30 dias;
  • Não fazer exposição direta do sol no local da cirurgia.

Conclusão

Uma mulher que sofre com esse problema precisa saber que existe solução cirúrgica para o seu caso. Muitas vezes, elas ouvem falar em mamas tuberosas mas nem sempre têm a informação adequada. Por isso, é importante buscar um bom profissional que esclareça suas dúvidas e apresente opções.

E mesmo que você não tenha o problema, mas agora que já sabe sobre mama tuberosa, o que é e como cuidar, pode conversar com uma amiga, sobrinha ou filha que tenha esse problema e indicar que existe uma forma de tratar.

ebook protese de silicone
Comentários
Avatar

Posted by DR. RODOLFO OLIVEIRA