Conheça os passos para a colocação de prótese de silicone, que está no topo do ranking da preferência das mulheres brasileiras.

Prótese de silicone: entenda todos os passos para essa cirurgia

Segundo uma pesquisa da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica, a colocação de prótese de silicone está no topo do ranking da preferência das mulheres brasileiras entre as cirurgias plásticas estéticas.

Mas o implante das próteses não está ligado apenas a questões de beleza, pode ser uma forma de reconstruir os seios após um tratamento de câncer de mama, que envolveu a realização de uma mastectomia, ou até lesões que prejudicaram o formato do seio.

Tire suas dúvidas nesse post sobre quais são os passos da cirurgia se já decidiu que agora quer –ou precisa–  ter seios com silicone.

Prótese de silicone: etapas em direção a mais autoestima

Para as mulheres que querem aumentar o volume dos seios e a projeção deles, além  de corrigir diferenças de formas e tamanhos entre cada um, a mamografia de  aumento, ou colocação da prótese de silicone, é intervenção cirúrgica adequada.

ebook protese de silicone

Quando a paciente está com a saúde em dia e se já tem os seios completamente desenvolvidos (no caso das adolescentes), está apta a fazer a cirurgia. No entanto, existem diversos passos que devem ser tomados até a realização do procedimento. Conheça quais são as etapas para realizar a cirurgia:

1o. Passo:  consulta com especialista

A paciente deve buscar um médico de confiança e experiente, habilitado na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, e explicar qual é o seu objetivo com a colocação da prótese mamária.  O silicone é adequado se: a mulher está insatisfeita  com seus seios pequenos,  quer melhorar o contorno deles após uma gravidez ou até mesmo a amamentação, teve algum tipo de lesão ou tem diferenças entre os seios. 

Porém, se deseja levantar os seios, deverá fazer uma cirurgia de mastopexia com prótese, que faz a combinação das técnicas do lifting da mama com a colocação da prótese.

Tudo sobre prótese de silicone, antes e depois, e o que vai ocorrer durante a cirurgia, deve ser esclarecido na consulta com o médico.

O cirurgião também vai abordar o valor da prótese de silicone, além dos custos de exames médicos, honorários dele e do anestesista, custos hospitalares e centro cirúrgico, etc.

2o. Passo: orientações

O próximo passo vai envolver conhecer  os tipos de prótese de silicone e quais são as mais indicadas para o objetivo e anatomia da paciente. Para isso, são realizadas as projeções dos possíveis resultados.

É interessante entender que os tamanhos de próteses mais buscados variam ao longo do tempo e mudam também de acordo com o país, de acordo com os padrões vigentes em cada período.

Prótese de silicone: tamanhos 

  • A prótese de silicone 150 ml é a menor delas;
  • No Brasil, o usual é usar próteses de até 500 ml;
  • Modelos  de 350 ml ainda estão entre os mais procurados;
  • Cresce também a procura entre os tamanhos de 200ml a 275ml  já que as mulheres estão adotando padrões mais esguios.

Modelos de prótese de silicone 

  • Prótese Gota: é a mais próxima do formato natural do seio;
  • Prótese redonda: é a mais popular e tende a destacar o  colo;
  • Prótese de silicone cônica: dá mais projeção ao seio porque é  mais pontuda.

Além do tamanho e formato, as próteses também têm perfis diferentes: alto e extra-alto (que permitem mais projeção) e moderado ou baixo (que não projetam os seios tanto para frente).

Por exemplo, a mulher que coloca uma prótese de silicone 300ml perfil super alto, perceberá que o antes e depois ficará bem marcado em sua silhueta.

Por isso, o médico irá providenciar diversas medidas e dar indicações para que a escolha da prótese seja bastante realista e de bom senso. 

Essas medidas vão envolver tamanho da estrutura corporal,  como ombros, tronco, distância entre tronco e quadril, formação original da mama, posição dos mamilos e aréolas,  espessura da pele, etc.

Também  será esclarecido sobre tipos de anestesia e tipos de incisões indicadas ao procedimento.

3o. Passo: realização de exames 

A paciente deverá fazer uma avaliação médica, com exames laboratoriais, de imagem (mamografia), etc.

Além disso, deverá se preparar também para ajustar medicações que já toma e até mesmo  passar a tomar outros medicamentos, se necessário.

4o. Passo: cuidados pré-operatórios

Os cuidados  pré-operatórios vão  envolver diversas iniciativas:

  • É preciso começar com os cuidados com a hidratação adequada da pele e do corpo um mês antes do procedimento, para garantir mais elasticidade aos tecidos.  Para isso, a ingestão de água em quantidades adequadas será muito importante, bem como o uso de bons hidratantes pelo menos duas vezes ao dia.
  • Parar de fumar com antecedência bem significativa é outro cuidado essencial. A  paciente deverá eliminar o fumo pelo menos duas semanas antes da colocação da prótese;
  • Pacientes devem parar de tomar remédios que possam estimular o sangramento;
  • Bebidas alcoólicas também devem ser evitadas por 7 dias antes da cirurgia;
  • Outro cuidado importante é comprar um sutiã especial pós-cirúrgico com a orientação do médico, porque o acessório  será fundamental na recuperação após  o procedimento.

5o. passo: dia da cirurgia

No  dia anterior à cirurgia, é preciso ficar pelo menos 8  horas de jejum. Todos os remédios deverão  ser listados para a devida comunicação ao cirurgião.

No dia da cirurgia, a paciente deverá tomar banho com sabonete neutro,  retirar qualquer maquiagem e acessórios. Além disso, o anestesista  deve ser informado sobre alergias e uso de substâncias não usuais. 

Alguém  deve acompanhar a paciente  no hospital pelo menos na primeira noite após a cirurgia.

6o  passo: a cirurgia

O  primeiro passo antes do início da cirurgia será a aplicação da anestesia, que pode ser tanto com sedação intravenosa, peridural ou anestesia geral.

Depois, o cirurgião irá realizar a incisão para colocar a prótese. Objetivo é que as marcas de prótese de silicone sejam o menos visível possível. Por isso, previamente, o médico já deverá decidir com a pacientes quais serão as opções:

  • Transaxilar: o corte é feito na dobra natural da axila, porém, essa técnica é um pouco mais complexa, e menos utilizada;
  • Inframamária: incisão realizada no sulco mamário, na linha entre o tórax e o seio;
  • Periolar: o corte é  realizado ao redor da aréola para introdução da prótese.

Nesse momento, a prótese pode ser introduzida sob o músculo peitoral (submuscular) ou atrás do tecido mamário (subglandular/submamária). Então, as incisões são fechadas.

O procedimento total demora cerca de 1 hora, mas podem ocorrer algumas variações de tempo de cirurgia para cirurgia.

7o passo: pós-operatório

Quando sai do centro cirúrgico com o sutiã especial, a paciente já consegue perceber claramente que está com peito com silicone.

O período de  recuperação pós-cirúrgica mais acentuado pode variar entre 24 a 48 horas, com alguns dias de repouso.

No começo, inchaços e um pouco de dor podem ser normais. Porém, o médico indicará analgésicos e anti-inflamatórios.

Durante 15 dias é preciso evitar esforços e mover os braços em excesso. O médico também poderá indicar uma drenagem linfática pós-cirúrgica.

A paciente deverá usar o sutiã pós-cirúrgico por 90 dias, não expor a cirurgia à friagem ou sol e alimentar-se de forma balanceada.

Os exercícios físicos leves podem ser retomados após 21 dias, mas outros mais intensos como musculação ou corridas só após 60 dias.

Também é indicado que a paciente não durma de bruços ou de lado por 30 dias.

Conclusão

Vale lembrar que o implante de silicone não apresenta nenhum grau de toxicidade ao organismo humano, porque é produzido com uma substância diferente do silicone industrial. É um gel de alta coesividade própria para essa finalidade, que não corre o risco de vazar e causar algum dano à saúde da paciente.

Pacientes que recebem boas instruções e realizam o procedimento com profissionais capacitados ficam altamente satisfeitas com os resultados, que ajudam também a melhorar muito a questão da autoestima.

Comentários
Avatar

Posted by DR. RODOLFO OLIVEIRA