DR. RODOLFO OLIVEIRA

Seios com silicone podem agradar todos os gostos

Seios com silicone podem agradar todos os gostos

Os seios com silicone muito marcados do passado poderiam não agradar todas as mulheres, mas as próteses atuais permitem formatos cada vez mais parecidos com o natural do corpo feminino.

Veja nesse post, como colocar silicone nos seios pode alegrar as mulheres de variadas preferências.

Continue reading →
Posted by DR. RODOLFO OLIVEIRA in cirurgia plástica, Mamoplastia
Miniabdominoplastia: entenda se você  pode fazer

Miniabdominoplastia: entenda se você pode fazer

As técnicas de cirurgia plástica evoluem constantemente, entre esses avanços, uma cirurgia  importante é a miniabdominoplastia.

Leia neste post como é miniabdominoplastia e quem pode se submeter ao procedimento.

Como é feita a miniabdominoplastia?

A miniabdominoplastia é uma cirurgia na barriga indicada para  eliminação da  flacidez leve na região suprapúbica ou abaixo do umbigo. Em geral, quem recebe indicação são pacientes magras, mas que sofreram uma distensão da pele após uma gravidez ou devido ao envelhecimento.

Pode ser chamada de uma versão reduzida da abdominoplastia porque vai atingir uma área menor, com uma retirada de pele pequena, o que vai resultar  em uma cicatriz também menor em relação ao procedimento tradicional

A abdominoplastia tradicional vai promover um corte de um osso ao outro do quadril para retirar toda a flacidez e gordura de todo o abdômen.

Com a técnica da miniabdominoplastia, o cirurgião vai acessar os músculos centrais do abdômen, fazer uma sutura contínua no local para promover uma melhor contração e tornar a região suprapúbica mais retinha e delineada.

Uma miniabdominoplastia com lipo poderá também ser indicada para retirada de excessos de gordura para resultados mais efetivos.

Quando a miniabdominoplastia vale a pena?

Para ser candidata a uma miniabdominoplastia, a indicação deve ser precisa e a paciente precisa cumprir alguns pré-requisitos: ter pouca flacidez na barriga,  essa pele flácida deve estar concentrada abaixo do umbigo e no abdômen superior ter muito pouca ou praticamente nenhuma flacidez.

Essas podem ser características de mulheres que tiveram um certa distensão na barriga após a gravidez, porém, mantiveram um ritmo de exercícios físicos que, de certa forma, preservaram os contornos abdominais.

Essa é uma diferença entre miniabdominoplastia e abdominoplastia. A segunda opção será indicada para pacientes mais sedentárias, que não são adeptas de exercícios físicos, nas quais a flacidez poderá ser bem mais acentuada.

 Para ser candidata a uma miniabdominoplastia, a indicação deve ser precisa e a paciente precisa cumprir alguns pré-requisitos: ter pouca flacidez na barriga, essa pele flácida deve estar concentrada abaixo do umbigo e no abdômen superior ter muito pouca ou praticamente nenhuma flacidez. Essas podem ser características de mulheres que tiveram um certa distensão na barriga após a gravidez, porém, mantiveram um ritmo de exercícios físicos que, de certa forma, preservaram os contornos abdominais. Essa é uma diferença entre miniabdominoplastia e abdominoplastia. A segunda opção será indicada para pacientes mais sedentárias, que não são adeptas de exercícios físicos, nas quais a flacidez poderá ser bem mais acentuada.

 

Miniabdominoplastia: cicatriz menor

Cicatrizes são inevitáveis em cirurgias plásticas, por exemplo, quem faz uma cirurgia  mamoplastia redutora nos seios terá uma cicatriz de mamoplastia. No entanto, no caso da miniabdominoplastia, o corte será um pouco maior do que o tamanho da incisão da cesárea e menor do que na cirurgia clássica de abdominoplastia.

Além da cicatriz dessa plástica na barriga ser menor, outra diferença importante em relação ao procedimento tradicional é a ausência de cicatriz ao redor do umbigo, porque, neste caso, a  pele só é levantada para expor a musculatura abdominal até o umbigo e o descolamento da pele é realizado em túnel, ao redor dos músculos retoabdominais. O umbigo ficará preso na pele, mas cortado em sua base na parede abdominal. 

À medida que a pele for puxada para baixo, o umbigo vem junto, o que representa uma mudança muito pequena em sua altura em relação ao espaço que ocupava antes na barriga.

Na abdominoplastia padrão, há um corte em torno do umbigo, porque há o descolamento total da pele para expor toda a musculatura abdominal, inclusive da região do umbigo.

Miniabdominoplastia estendida

No entanto, há também uma versão estendida da miniabdominoplastia, que faz a ressecção de pele nas laterais da região da barriga, não somente na parte central, então a cicatriz vai se estender até os flancos. Essa incisão maior é necessária para poder tracionar uma quantidade maior de pele.

Nesta abdominoplastia mini estendida, também é possível fazer um descolamento da musculatura superior do abdômen, até próximo aos seios para fazer a costura de toda a musculatura do retoabdominal, que é a região conhecida como tanquinho.

A abdominoplastia estendida pode ser indicada para pacientes que já realizaram uma abdominoplastia, mas continuaram com excesso de pele nas laterais ou por ter engordado ou até mesmo passado por uma gestação. 

Outro caso indicado para miniabdominoplastia é quando a paciente teve uma gravidez de gêmeos ou duas gestações, por exemplo, mas não ficou com flacidez para realizar uma abdominoplastia tradicional, mas também não são adequadas para uma miniabdominoplastia simples devido ao excesso de pele nas laterais.

Nesta miniabdominoplastia o antes e depois terá uma diferença básica na cicatriz, que vai ficar bem mais baixa e também não terá incisões em torno do umbigo. 

Miniabdominoplastia: cicatriz menor  Cicatrizes são inevitáveis em cirurgias plásticas, por exemplo, quem faz uma cirurgia  mamoplastia redutora nos seios terá uma cicatriz de mamoplastia. No entanto, no caso da miniabdominoplastia, o corte será um pouco maior do que o tamanho da incisão da cesárea e menor do que na cirurgia clássica de abdominoplastia.  Além da cicatriz dessa plástica na barriga ser menor, outra diferença importante em relação ao procedimento tradicional é a ausência de cicatriz ao redor do umbigo, porque, neste caso, a  pele só é levantada para expor a musculatura abdominal até o umbigo e o descolamento da pele é realizado em túnel, ao redor dos músculos retoabdominais. O umbigo ficará preso na pele, mas cortado em sua base na parede abdominal.   À medida que a pele for puxada para baixo, o umbigo vem junto, o que representa uma mudança muito pequena em sua altura em relação ao espaço que ocupava antes na barriga.  Na abdominoplastia padrão, há um corte em torno do umbigo, porque há o descolamento total da pele para expor toda a musculatura abdominal, inclusive da região do umbigo.  Miniabdominoplastia estendida  No entanto, há também uma versão estendida da miniabdominoplastia, que faz a ressecção de pele nas laterais da região da barriga, não somente na parte central, então a cicatriz vai se estender até os flancos. Essa incisão maior é necessária para poder tracionar uma quantidade maior de pele.  Nesta abdominoplastia mini estendida, também é possível fazer um descolamento da musculatura superior do abdômen, até próximo aos seios para fazer a costura de toda a musculatura do retoabdominal, que é a região conhecida como tanquinho.  A abdominoplastia estendida pode ser indicada para pacientes que já realizaram uma abdominoplastia, mas continuaram com excesso de pele nas laterais ou por ter engordado ou até mesmo passado por uma gestação.   Outro caso indicado para miniabdominoplastia é quando a paciente teve uma gravidez de gêmeos ou duas gestações, por exemplo, mas não ficou com flacidez para realizar uma abdominoplastia tradicional, mas também não são adequadas para uma miniabdominoplastia simples devido ao excesso de pele nas laterais.  Nesta miniabdominoplastia o antes e depois terá uma diferença básica na cicatriz, que vai ficar bem mais baixa e também não terá incisões em torno do umbigo. 

Cirurgião vai avaliar o procedimento mais indicado

Assim como na abdominoplastia, o cirurgião vai realizar uma avaliação física e fazer todos os testes necessários para indicar o melhor procedimento. Também serão indicados todos os exames laboratoriais para atestar a boa saúde da paciente para a cirurgia.

O médico também vai abordar sobre os riscos que ocorrem todas as cirurgias como infecções, hematomas e até uma cicatriz tardia, além de uma possibilidade de queloide em pacientes que têm essa propensão. Outro efeito colateral poderá ser uma dormência na região, que será eliminada com o tempo.

Antes da cirurgia será recomendado que os pacientes não bebam, fumem ou consumam medicamentos que possam estimular o sangramento.

A cirurgia será realizada em ambiente hospitalar, com anestesia peridural ou raquidiana com sedação ou anestesia geral. O procedimento pode durar de 1 a 3 horas.

O tempo de internação para esse tipo de cirurgia também costuma ser mais rápido, em torno de 12 horas.

Pós-operatório da miniabdominoplastia 

Na miniabdominoplastia, com diástase corrigida, o pós-operatório tende a ser bem tranquilo. Muitos pacientes não relatam dores, porém, o cirurgião costuma indicar analgésicos para eliminar qualquer desconforto.

Assim como no procedimento clássico, serão indicadas sessões de drenagem linfática para eliminar líquidos. Ao menos, 10 sessões devem ser cumpridas.

Além disso, o uso da cinta também é imprescindível durante 30 dias, assim como será indicado não fazer esforços ou pegar pesos por 30 dias, não voltar às atividades físicas ou se expor ao sol sem indicação médica.

Conclusão:  antes e depois da miniabdominoplastia 

Na miniabdominoplastia, antes e depois terá uma linha divisória muito perceptível. Se aquela barriguinha mais projetada incomodava antes da cirurgia, a paciente vai perceber que depois do procedimento terá ganhado contornos muito mais retilíneos e atraentes. 

Essa percepção poderá resultar em uma autoestima mais elevada e confiança para colocar certos tipos de roupa, sem a necessidade de ficar se policiando para tentar encolher a barriga toda hora. 

Esse é um efeito da cirurgia plástica, proporcionar uma melhor imagem sobre si mesmo, não importa se é para quem está buscando tipos de prótese de silicone para o seios ou se é uma correção do abdômen. Porém, vale alertar que toda cirurgia de efeito estético deve resultar de uma decisão bem pensada, que seja fruto da vontade do paciente de agradar a si mesmo, e não aos outros ou padrões sociais.

ebook mastopexia cirurgia para mamas flácidas

Posted by DR. RODOLFO OLIVEIRA in cirurgia plástica
Como aumentar os seios: 7 mitos e verdades

Como aumentar os seios: 7 mitos e verdades

Como aumentar os seios é uma dúvida que grande parte das mulheres têm. Considerando que a mamoplastia de aumento é a cirurgia plástica mais realizada no Brasil, de acordo com estudo divulgado pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica e Estética,  muitas pacientes resolvem essa questão optando por esse procedimento cirúrgico estético.

Porém, uma parcela das mulheres busca como aumentar os seios naturalmente,  sem cirurgia ou sem silicone. Será que os resultados desses métodos são efetivos?

Veja neste post o que é mito e o que é verdade nesta busca por seios mais volumosos e bonitos.

Como fazer os seios crescerem?

Ter seios mais bonitos, com contornos mais harmônicos e coerentes com a própria silhueta, é o desejo de 9 entre 10 mulheres. Em muitos casos, essa aspiração também passa pelo aumento dos seios.

As mulheres que querem um aumento dos seios podem ser motivadas porque perderam os contornos mamários depois de uma gravidez ou amamentação, sofreram uma grande perda de peso ou tiveram problemas com a gravidade durante o processo do envelhecimento.

Além disso, existe o fato que, por questões genéticas, muitas mulheres têm seios pequenos, mas elas desejam ter um volume mais compatível com o padrão de beleza da sociedade. 

Para essas mulheres, entender como aumentar os seios em pouco tempo é uma questão que ganha muito espaço em suas mentes e pode ser uma forma efetiva de buscar mais autoestima e confiança.

No entanto, vale dizer que quem tem os seios caídos não vai ter apenas que aumentá-los com algum dos vários tipos de prótese de silicone, terá também que fazer uma mastopexia, para corrigir a flacidez, elevar e remodelar seios e aréolas.

Saiba mais sobre prótese mamária neste vídeo:

Como aumentar os seios sem cirurgia?

Entre as buscas que as mulheres fazem, além da cirurgia, estão formas para aumentar os seios com exercícios, massagens, alimentação ou cremes. Na internet encontra-se solução para tudo, mas será que isso vai funcionar? Será que tem como aumentar os seios naturalmente? Vamos conferir.

Como fazer aumentar os seios: alimentação Mito  Uma alimentação rica em substâncias fitoestrogênicas, que faz parte de ovos, tomate, linhaça, cenoura, mamão, feijão vermelho e soja já foram apontados como alimentos que podem ajudar a aumentar os seios devido à presença do hormônio em sua composição.  No entanto, não há pesquisas que apontem qual a quantidade a ser consumida ou se há como aumentar os seios com alimentos, especialmente para produzir o volume desejado pelas mulheres.  Como aumentar os seios com exercícios? Mito  Quando certos sites apontam que é possível aumentar os seios com exercícios podem não estar oferecendo a informação de forma correta e completa.  É evidente que a musculatura peitoral pode crescer caso seja estimulada por meio de exercícios, mas  o volume dos seios não é composto desse músculo, mas da glândula mamária, que tem gordura e tecido. Não há exercício que faça essa parte do corpo aumentar.  Como aumentar os seios com massagem e cremes? Mito  Há muitas informações na internet falando sobre a possibilidade de aumento dos seios com massagens com certos cremes e óleos. Não é verdade.   Não há pesquisas que comprovem o funcionamento efetivo deste método para aumento do volume dos seios. Em algumas massagens, os seios podem até ser prejudicados.  Além disso, também são divulgados cremes para aumentar os seios com massagem que não são comprovadamente seguros.  Evidentemente que usar bons cremes hidratantes vai conferir à mulher uma pele mais firme e hidratada, que será necessária se ela optar por fazer uma cirurgia plástica, com implante de prótese de silicone.  No entanto, ainda não há pesquisas que revelem que o uso desses cremes são seguros e efetivos para o aumento dos seios.  Aumentar os seios com hormônios  Verdade em parte  Quando as mulheres tomam anticoncepcionais podem sim comprovar um aumento no volume dos seios devido à presença do estrogênio na composição da medicação.  Na verdade, esse volume  maior será um efeito colateral provocado pelo acúmulo de líquidos, além de que o aumento não deve ser tão expressivo quanto o de uma prótese de silicone.   Além disso, não se deve começar a tomar essas medicações sem autorização médica, muitas mulheres não se adaptam aos anticoncepcionais e poderão ter efeitos colaterais indesejáveis.  Como aumentar o seios: silicone Verdade  Se a mulher quer saber como aumentar os seios em 1 mês, o silicone é uma das respostas corretas. É uma forma segura e rápida para ter seios bonitos, volumosos e harmônicos.  Ao optar pela cirurgia plástica de implante de silicone, ela poderá escolher o volume desejado, perfil da prótese (alto, hiperalto, moderado ou baixo) e tipo de prótese (redonda, anatômica ou cônica).  Para isso, terá que buscar um cirurgião plástico de confiança, associado à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e que tenha experiência.  O profissional irá realizar medições do corpo para explicar à paciente quais os tipos, tamanho e perfis mais adequados, segundo o seu biotipo. Irá solicitar exames para conhecer a saúde da paciente, que deve ser boa; e explicar todos os passos pré-operatórios e pós-operatórios.  O processo todo pode ser bem rápido, das consultas à mesa de cirurgia. Já ao sair do centro cirúrgico, a paciente poderá comprovar o aumento dos seios.

Como fazer aumentar os seios: alimentação

Mito

Uma alimentação rica em substâncias fitoestrogênicas, que faz parte de ovos, tomate, linhaça, cenoura, mamão, feijão vermelho e soja já foram apontados como alimentos que podem ajudar a aumentar os seios devido à presença do hormônio em sua composição.

No entanto, não há pesquisas que apontem qual a quantidade a ser consumida ou se há como aumentar os seios com alimentos, especialmente para produzir o volume desejado pelas mulheres.

Como aumentar os seios com exercícios?

Mito

Quando certos sites apontam que é possível aumentar os seios com exercícios podem não estar oferecendo a informação de forma correta e completa.

É evidente que a musculatura peitoral pode crescer caso seja estimulada por meio de exercícios, mas  o volume dos seios não é composto desse músculo, mas da glândula mamária, que tem gordura e tecido. Não há exercício que faça essa parte do corpo aumentar.

Como aumentar os seios com massagem e cremes?

Mito

Há muitas informações na internet falando sobre a possibilidade de aumento dos seios com massagens com certos cremes e óleos. Não é verdade. 

Não há pesquisas que comprovem o funcionamento efetivo deste método para aumento do volume dos seios. Em algumas massagens, os seios podem até ser prejudicados.

Além disso, também são divulgados cremes para aumentar os seios com massagem que não são comprovadamente seguros.

Evidentemente que usar bons cremes hidratantes vai conferir à mulher uma pele mais firme e hidratada, que será necessária se ela optar por fazer uma cirurgia plástica, com implante de prótese de silicone.

No entanto, ainda não há pesquisas que revelem que o uso desses cremes são seguros e efetivos para o aumento dos seios.

Aumentar os seios com hormônios 

Verdade em parte

Quando as mulheres tomam anticoncepcionais podem sim comprovar um aumento no volume dos seios devido à presença do estrogênio na composição da medicação.

Na verdade, esse volume  maior será um efeito colateral provocado pelo acúmulo de líquidos, além de que o aumento não deve ser tão expressivo quanto o de uma prótese de silicone. 

Além disso, não se deve começar a tomar essas medicações sem autorização médica, muitas mulheres não se adaptam aos anticoncepcionais e poderão ter efeitos colaterais indesejáveis.

Como aumentar o seios: silicone

Verdade

Se a mulher quer saber como aumentar os seios em 1 mês, o silicone é uma das respostas corretas. É uma forma segura e rápida para ter seios bonitos, volumosos e harmônicos.

Ao optar pela cirurgia plástica de implante de silicone, ela poderá escolher o volume desejado, perfil da prótese (alto, hiperalto, moderado ou baixo) e tipo de prótese (redonda, anatômica ou cônica).

Para isso, terá que buscar um cirurgião plástico de confiança, associado à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e que tenha experiência.

O profissional irá realizar medições do corpo para explicar à paciente quais os tipos, tamanho e perfis mais adequados, segundo o seu biotipo. Irá solicitar exames para conhecer a saúde da paciente, que deve ser boa; e explicar todos os passos pré-operatórios e pós-operatórios.

O processo todo pode ser bem rápido, das consultas à mesa de cirurgia. Já ao sair do centro cirúrgico, a paciente poderá comprovar o aumento dos seios.

ebook protese de silicone

Tem como aumentar os seios sem silicone?

Verdade

A resposta para quem quer saber como aumentar a gordura da mama pode ser um procedimento cirúrgico conhecido como lipoenxertia.

Com esse procedimento é possível retirar gordura de uma parte do corpo da paciente por meio da lipoaspiração, como abdômen, quadris ou coxas; e transferi-la para outra parte da própria paciente, inclusive para os seios.

Essa é uma forma de aumentar os seios sem silicone, não apresenta riscos de rejeição, porém, como o corpo pode absorver 20% da gordura enxertada, depois de um certo tempo, a paciente poderá ficar com um volume de seios menor do que havia planejado. 

Além disso, esse método não é possível em pessoas muito magras, apenas naquelas que têm acúmulos de gordura.

Aumento de seios com ácido hialurônico

Verdade

Outra técnica para aumentar os seios sem o silicone é com aplicação de ácido hialurônico. Podem ser realizadas aplicações de 80 a 270 ml.

Oferece resultados visíveis já na primeira sessão, que pode ser realizada com anestesia local. No entanto, o resultado não é definitivo, a paciente deverá renovar as aplicações após 1 ou 2 anos, que é o prazo previsto para que os seios voltem a ter o tamanho normal.

Outra desvantagem é que o custo-benefício do procedimento não é mais compensador do que a opção da prótese de silicone, que traz resultados definitivos.

Conclusão

Entre todos esses métodos, o que se percebe é que o implante de silicone é o que trará resultados mais efetivos e definitivos para a paciente no que se refere ao aumento dos seios.

A prótese vai garantir  total escolha do resultado final, firmeza, beleza e volume desejado pela paciente.

Posted by DR. RODOLFO OLIVEIRA in Todos
Abdominoplastia: tudo que você deve saber

Abdominoplastia: tudo que você deve saber

Ter uma barriga reta e sem depósitos de gordura  pode ser uma tarefa que nem  dieta ou exercícios conseguem alcançar. Por outro lado, a abdominoplastia é uma solução que vai  permitir  alcançar esses objetivos.

Se você está interessada em fazer essa cirurgia plástica na barriga,  leia até o final para conhecer todos os detalhes.

O que é abdominoplastia?

A  cirurgia de abdominoplastia tem o objetivo de melhorar a aparência  do  abdômen. Segundo pesquisas de órgãos especializados, é a terceira cirurgia plástica mais buscada no Brasil, ficando atrás apenas da mamoplastia de aumento (prótese de silicone) e da lipoaspiração. 

Embora seja um procedimento altamente buscado por mulheres, tem crescido a incidência da abdominoplastia masculina, porque os homens também perceberam que é possível realizar a retomada da autoestima por meio da cirurgia plástica. 

Esse comportamento se deve, especialmente, pelo motivo  já citado: muitas pessoas percebem que não importa quantos exercícios abdominais faça ou mesmo que siga dietas altamente restritivas, a barriguinha indesejada continua lá inalterada, principalmente quando há flacidez da pele.

Na abdominoplastia, o cirurgião vai realizar a retirada do excesso de pele e gordura acumuladas nesta região do corpo e fortalecer o tecido conjuntivo enfraquecido no abdômen. O resultado é um abdômen mais liso e reto.

A cirurgia também irá remover as estrias que podem ser alcançadas na área do procedimento, porém, aquelas que estão além do perímetro vão continuar lá. 

Essa cirurgia  costuma ser realizada por quem não consegue se livrar da gordura e flacidez da pele abaixo do umbigo adquiridas por causas diversas,  como:

rincipalmente quando há flacidez da pele. Na abdominoplastia, o cirurgião vai realizar a retirada do excesso de pele e gordura acumuladas nesta região do corpo e fortalecer o tecido conjuntivo enfraquecido no abdômen. O resultado é um abdômen mais liso e reto. A cirurgia também irá remover as estrias que podem ser alcançadas na área do procedimento, porém, aquelas que estão além do perímetro vão continuar lá.  Essa cirurgia  costuma ser realizada por quem não consegue se livrar da gordura e flacidez da pele abaixo do umbigo adquiridas por causas diversas,  como:  Após uma gravidez; Envelhecimento; Biotipo; Mudanças significativas de peso; Cirurgias  prévias, como no caso de mulheres que fizeram cesarianas, o cirurgião poderá incorporar a cicatriz já existente à da abdominoplastia; Pessoas que já foram obesas e que ainda têm depósitos de gordura ou pele solta no abdômen.

Quem faz abdominoplastia pode engravidar? Existe algum alerta?

Não há impedimento de uma gravidez após abdominoplastia, porém, para manter os resultados adquiridos com  a cirurgia plástica, a paciente precisa manter o peso e a forma física. 

Portanto, uma indicação, é que as pacientes façam essa cirurgia na barriga apenas após ter todas as gestações desejadas  para que os resultados da abdominoplastia antes e depois não fiquem comprometidos.

A abdominoplastia não é indicada para pessoas que desejam realizar uma grande perda de peso, como  aquelas que tenham índice  de massa corporal acima de 30, porque após esse processo, vai perceber uma grande sobra de pele em seu abdômen, e o resultado da cirurgia será prejudicado.

Contraindicações

Abdominoplastia não é um procedimento indicado para pessoas que tenham condições médicas graves, como problemas cardíacos, diabetes ou  hipertensão arterial não controladas.

Para quem é fumante, a abdominoplastia também pode não ser a melhor solução pela nocividade que o tabagismo provoca no organismo das pessoas. Se ainda assim, o paciente quiser passar pelo procedimento, receberá uma indicação do médico de parar com o cigarro muito tempo antes da cirurgia abdominoplastia.

Além  disso, pacientes com doença do colágeno também não devem passar por essa cirurgia porque essa doença autoimune afeta o tecido conjuntivo.

ebook protese de silicone

Como é feita a abdominoplastia?

Em primeiro lugar, a paciente deverá buscar um cirurgião experiente, qualificado e filiado à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, revelando com bastante sinceridade seus objetivos  ao realizar esse procedimento cirúrgico.

O cirurgião irá  explicar todos os passos do procedimento e também informar sobre  qual o tipo mais adequado de cirurgia para  cada paciente como, por exemplo, a lipo e abdominoplastia.

Também será realizada uma investigação completa  do histórico clínico da paciente, com relatos sobre doenças prévias, alergias, ingestão de medicamentos específicos, etc.

O médico também vai alertar sobre a cicatriz de abdominoplastia, que é permanente, porém, fica na altura da púbis, e pode ser escondida pelo biquíni.  Nos primeiros meses fica mais visível, porém, a partir de 1 ano, a tendência é suavizar bastante.

Para se submeter ao procedimento, o estado geral  de saúde deverá ser considerado bom. Por isso, também serão solicitados diversos exames físicos e laboratoriais.

Para realizar a cirurgia, o paciente deverá evitar certos medicamentos e começar a tomar outros para evitar as complicações, parar de fumar e manter o peso estável. 

Como é a cirurgia de abdominoplastia?

A cirurgia será realizada em ambiente hospitalar, o paciente receberá anestesia peridural, raquidiana com sedação intravenosa ou anestesia geral, quando houver necessidade de associar com outros tipos de cirurgia, por exemplo, uma abdominoplastia com lipo, se o paciente tiver uma camada muito grande de gordura na região.

Conheça os  tipos cirurgia para abdômen que podem ser realizados:

Conheça os  tipos cirurgia para abdômen que podem ser realizados:  Abdominoplastia tradicional: é  a cirurgia clássica, que visa remoção da pele, tecido e correção da flacidez  na região abdominal. É indicada para pessoas que também estão com um grande afastamento  dos músculos abdominais;  Abdominoplastia  completa:  vai envolver a retirada de gordura, tecido e pele também na mesma região da cirurgia clássica, porém, o alcance do procedimento será estendido para os excessos localizados na lombar e quadris, portanto, a incisão será maior;  Miniabdominoplastia:  é uma  cirurgia de proporções  menores, indicada para  quem quer apenas retirar alguma quantidade de pele abaixo do  umbigo. O tempo da cirurgia é menor e o período de recuperação também;  Abdominoplastia em âncora: é um tipo de  cirurgia que faz a retirada de pele e gordura também no sentido vertical, além do sentido horizontal, para  pessoas que sofreram  um grande emagrecimento,  como nos casos de cirurgias bariátricas;  Abdominoplastia e lipoescultura:  além do procedimento da cirurgia clássica,  o médico irá realizar uma modelagem do corpo, que faz a  retirada da gordura de um lugar e a reintroduz em outras áreas. Depois da anestesia, o próximo passo é a assepsia da pele e realização das incisões para levantar o tecido, expor os músculos  e corrigir aqueles que estão distendidos. A pele será reposicionada.

Então, é realizada a retirada de pele, tecidos e gorduras a partir da incisão original para corrigir a flacidez. Na sequência, são inseridos drenos para evitar acúmulo de líquidos  e a sutura das incisões.

A cirurgia deverá ter uma duração  de 2 a 3 horas. 

Abdominoplastia: riscos 

Toda  e qualquer cirurgia traz riscos, mas podem ser amenizados mediante a perícia do médico durante o procedimento e  seguir recomendações no pós-operatório. 

Entre os riscos da abdominoplastia podem ser citados:

    • Acúmulo de líquidos: os tubos inseridos durante a cirurgia vão reduzir os riscos de excesso, porém, o médico também poderá removê-los com agulhas;
    • Má cicatrização: pode variar muito de caso a caso, mas serão prescritos antibióticos para o período pós-operatório para evitar as infecções;
    • Mudanças na sensação da pele: no momento do reposicionamento da pele, alguns nervos podem ser atingidos. Então pode acontecer dormências ou uma sensação reduzida na região, que tende a sumir em algum tempo;
    • Danos: tecido adiposo pode ser danificado no interior da pele. Esse risco aumenta para os fumantes, em alguns casos, pode ser necessária uma nova cirurgia ou mesmo haver uma cicatrização espontânea;
    • Sangramentos;
    • Reações à anestesia;
    • Infecções.

Cuidados pós-operatórios

  • A retirada dos curativos da cirurgia devem  ser realizados até 24 horas após o procedimento;
  • A alimentação pode ser normal, apenas é preciso tomar cuidado para que não consuma alimentos que acumulem gases; 
  • Para evitar acúmulos de gases, o paciente deverá fazer pequenas caminhadas, mesmo que não consiga ficar ereto ainda;
  • Usar a cinta pós-abdominoplastia por 30 dias, para  auxiliar na cicatrização e manter os tecidos  reposicionados nos seus novos lugares;
  • Evitar pegar pesos ou fazer esforços por 30 dias;
  • Atividades físicas só poderão ser retomadas  após indicação do cirurgião;
  • Realização de sessões de drenagem linfática.

Conclusão

Se na  mamoplastia, seja uma mastopexia com prótese (lifting de mamas com silicone) ou apenas a redução de mamas, o principal objetivo das mulheres é ter um melhor contorno dos seios, a cirurgia da barriga é, sem dúvida, um procedimento que também vai promover uma melhor estética do corpo tanto para mulheres como para homens, porque o resultado é um abdômen muito mais bonito.

O efeito secundário do procedimento é mais confiança e satisfação ao olhar para o espelho e até expor a nova silhueta em locais como praias, piscinas ou outros eventos.

ebook mastopexia cirurgia para mamas flácidas

Posted by DR. RODOLFO OLIVEIRA in Todos
Seios pequenos: o que fazer para aumentá-los?

Seios pequenos: o que fazer para aumentá-los?

Toda mulher tem a sua beleza, porém, muitas não gostam de ter seios pequenos e querem encontrar meios de tornar as mamas mais volumosas e chamativas.

Veja nesse post como as mulheres com mamas menores podem atingir esse objetivo com uma mamoplastia de aumento.

Como aumentar seios pequenos?

Há tipos de seios diferentes, com formatos e tamanhos. Cada mulher pode estar ou não satisfeita com eles. Por exemplo, muitas famosas com seios pequenos não revelam qualquer preocupação com sua silhueta, posam para fotografias tranquilamente com seus decotes profundos: elas sabem como valorizar os seios pequenos!

Resultado de fatores genéticos, ter mamas menores também têm as suas vantagens, como não correr o risco de sofrer com dores nas costas devido ao peso das mamas, não ter a obrigatoriedade de usar sutiãs, ser fácil encontrar um biquíni para quem tem seios pequenos ou até mesmo poder dormir de bruços tranquilamente. 

Além disso, seios pequenos também podem ser mais sensíveis, segundo uma pesquisa realizada pela Universidade de Viena. De acordo com o estudo, em quem tem pouco seio, o nervo que transmite as sensações é mais alongado. Esse fato permite que as mulheres de seio pequeno sintam mais prazer ao ter essa região estimulada no ato sexual.

Mas, na adolescência, jovens com seios pequenos podem ter problemas de autoestima porque não se consideram tão atraentes quanto aquelas que têm seios mais volumosos. Elas podem ter dúvidas como: “Será que homens gostam de seios pequenos?”.

Então, começam a usar truques como colocar enchimentos dentro do sutiã ou adotar modelos com bojo, para criar uma ilusão de mais volume na região do tórax.

A maioria entra na idade adulta com o desejo de apresentar contornos mais destacados porque há um padrão de beleza que aponta para a preferência por seios maiores.

Embora, de fato, haja seios menores lindos, esse desejo de aumentá-los pode ser satisfeito com uma cirurgia para implante de prótese de silicone que vai conceder mais volume para a área das mamas. Entre os tipos de prótese de silicone, há também aquelas que poderão garantir um colo bem mais destacado e chamativo.

ebook protese de silicone

O que a prótese pode fazer pelos seios pequenos?

Quando a mulher opta por fazer um mamoplastia de aumento, terá vantagens como:

  • Ter um contorno de seio mais bonito e harmônico, firme e volumoso, que vai corrigir o que ela pode considerar como uma imperfeição;
  • Ficar com uma aparência de seios naturais porque as novas técnicas de cirurgia e tecnologias das próteses garantem esse resultado;
  • Aumentar a autoestima e confiança por adquirir o volume desejado para os seus seios;
  • Passar por um procedimento que é seguro, quando realizado com um cirurgião experiente e associado à Sociedade Brasileira de Cirurgia.

Mas, além do benefício incontestável de apresentar formas mais volumosas especialmente para quem tem seios muito pequenos, ter uma prótese de silicone vai ajudar também a manter a firmeza dos seios por muito mais tempo.

É importante saber que mesmo as mamas pequenas e durinhas vão sofrer com a ação do tempo e também poderão ficar flácidos. 

Quando as mulheres são mais jovens, os seios são compostos de glândulas mamárias, gordura e colágeno.

A flacidez é causada devido à perda de colágeno, que ocorre com o envelhecimento e fatores genéticos; e ganho de gordura, mas também pode acontecer depois de uma gravidez com grande aumento de peso ou amamentação, na qual o seio sofreu uma grande expansão de tamanho e depois voltou ao volume anterior. É um efeito sanfona nos seios.

Quando a mulher opta por fazer um mamoplastia de aumento, terá vantagens como: Ter um contorno de seio mais bonito e harmônico, firme e volumoso, que vai corrigir o que ela pode considerar como uma imperfeição; Ficar com uma aparência de seios naturais porque as novas técnicas de cirurgia e tecnologias das próteses garantem esse resultado; Aumentar a autoestima e confiança por adquirir o volume desejado para os seus seios; Passar por um procedimento que é seguro, quando realizado com um cirurgião experiente e associado à Sociedade Brasileira de Cirurgia.  Mas, além do benefício incontestável de apresentar formas mais volumosas especialmente para quem tem seios muito pequenos, ter uma prótese de silicone vai ajudar também a manter a firmeza dos seios por muito mais tempo. É importante saber que mesmo os seios pequenos e durinhos vão sofrer com a ação do tempo e também poderão ficar flácidos.  Quando as mulheres são mais jovens, os seios são compostos de glândulas mamárias, gordura e colágeno. A flacidez é causada devido à perda de colágeno, que ocorre com o envelhecimento e fatores genéticos; e ganho de gordura, mas também pode acontecer depois de uma gravidez com grande aumento de peso ou amamentação, na qual o seio sofreu uma grande expansão de tamanho e depois voltou ao volume anterior. É um efeito sanfona nos seios.

Conheça os tipos de prótese de silicone

Prótese de silicone redonda

Esse tipo de prótese vai preencher bastante a parte superior da mama e garantir formas mais arredondadas para os seios. É indicada para mulheres com tórax compatível com o volume e formato.

Prótese de silicone cônica

A prótese de silicone cônica pode ser bastante indicada para mulheres com volume de mama menor, ombros estreitos e pouca queda mamária, porque a base é menor e projeta os seios mais para a frente. O ganho de volume é conquistado, porém, o colo fica menos marcado do que a prótese redonda.

Se a mulher já tem mama menor e bicuda, o médico vai precisar avaliar se a prótese não vai dar uma aparência artificial.

Prótese de silicone gota

Essa prótese também é chamada de anatômica porque proporciona uma aparência muito semelhante ao formato de boa parte dos seios naturais. Essa prótese vai dar mais volume à parte inferior. 

Também é muito utilizada para mulheres que precisam colocar um implante de silicone para promover a reconstrução da mama, no caso de uma mastectomia ou outros problemas.

# Fica a dica

É importante saber que os seios costumam crescer até por volta dos 20 anos. Então, não é aconselhável colocar uma prótese de silicone antes dos 18 anos. 

Saiba mais sobre prótese mamária neste vídeo:

Conclusão

Seja com mamas grandes ou pequenas, a mulher precisa se sentir feliz com seus contornos, ter confiança e autoestima elevada.

Antes de optar por aumentar os seios, a mulher deve ter em mente qual é o real motivo de se submeter a essa cirurgia. A primeira dica é que ela deve agradar a si mesma, e não aos outros.

A harmonia das formas não necessariamente ocorre apenas a partir de seios volumosos, porém, se esse for o desejo da paciente, o cirurgião plástico vai esclarecer todas as dúvidas e buscar atender o que a fará mais feliz dentro das possibilidades.

Posted by DR. RODOLFO OLIVEIRA in Todos
Silicone antes e depois: tudo o que você precisa saber

Silicone antes e depois: tudo o que você precisa saber

Quem pretende fazer uma mamoplastia de aumento precisa ter o devido entendimento da colocação do silicone, antes e depois do procedimento.

Cada etapa vai exigir certas iniciativas e a paciente precisa saber exatamente o que deve ser realizado em cada uma delas e o que pode vir antes e depois do implante,  para fazer a sua tomada de decisão de forma consciente e segura. Veja mais nesse post.

Continue reading →

Posted by DR. RODOLFO OLIVEIRA in cirurgia plástica, Mamoplastia
Mama tuberosa: como a cirurgia pode resolver?

Mama tuberosa: como a cirurgia pode resolver?

A mama tuberosa é um termo utilizado para definir algumas deformidades mamárias. Mas você sabe o que é isso?

Um dos grandes problemas que a deformidade tuberosa da mama traz são as questões psicológicas e emocionais para as pacientes.

Se você está se perguntando: “Como saber se tenho mama tuberosa?” Leia todo esse post para obter as respostas.  

Continue reading →

Posted by DR. RODOLFO OLIVEIRA in cirurgia plástica, Mamoplastia
Tipos de seios: saiba qual é o seu

Tipos de seios: saiba qual é o seu

Cada mulher é única e manifesta suas diferenças em biotipo e personalidade. Mas você sabia que até os tipos de seios delas são diferentes

Muitas mulheres não gostam dos tipos e formatos dos próprios seios, e usam recursos dos sutiãs especial para disfarçá-los, já outras buscam a cirurgia plástica para remodelá-los, por exemplo, com uma mamoplastia de aumento. Se você quer saber quais os formatos de seio, veja mais nesse post.

Continue reading →

Posted by DR. RODOLFO OLIVEIRA in cirurgia plástica, Mamoplastia
Mastopexia: o que é e para quem é indicada?

Mastopexia: o que é e para quem é indicada?

Mastopexia? O que é? Esse é um procedimento muito indicado para as mulheres que querem redesenhar o formato dos seus seios.

Saiba mais nesse post sobre esse tipo de cirurgia, que está entre as mais procuradas do público feminino, e pode trazer mais autoestima para as mulheres. 

Continue reading →

Posted by DR. RODOLFO OLIVEIRA in cirurgia plástica, Mamoplastia