Quando uma mulher decide aumentar os seios, uma das questões a resolver com o cirurgião é se vai colocar silicone por cima do músculo peitoral ou abaixo dele. Neste post entenda quais tópicos precisam ser avaliados para colocar uma prótese de silicone por cima do músculo. Silicone por cima do músculo: antes e depois Fazer uma mamoplastia de aumento é um sonho para muitas mulheres que querem recuperar contornos, deixar os seios mais firmes e com um volume mais satisfatório. É uma verdadeira injeção de autoestima. Entre as muitas decisões que precisam tomar em parceria com o cirurgião plástico, as mulheres devem escolher os tipos de prótese de silicone (divididas em redondas, anatômicas e prótese de silicone cônica), tamanho e perfil. Dentro dessa lista de decisões, a paciente vai saber que colocar silicone por cima ou por baixo do músculo não vai depender de uma escolha dela, mas sim da avaliação do médico sobre o seu biotipo. Por sinal, a estrutura física da mulher é sempre um dos principais parâmetros quando o assunto é prótese mamária. Serão avaliados tamanho do tórax, tamanho atual das mamas e até se há histórico de câncer de mama na família. Além disso, para saber se essa técnica será possível, o cirurgião vai avaliar também tendências à flacidez, espessura da pele e até a facilidade para o surgimento de estrias. Afinal, silicone é melhor por cima ou por baixo do músculo? Não se trata de melhor ou pior, mas o que é mais indicado em cada caso, por isso, é preciso entender essa diferença entre silicone por baixo ou por cima do músculo. O silicone por cima do músculo (também conhecido como subglandular), normalmente, é a forma mais utilizada pelos médicos, porque é o plano anatômico natural, onde a mama está. Consiste em introduzir a prótese abaixo das glândulas mamárias e acima da musculatura torácica. Normalmente, esse é o tipo de cirurgia de implante de silicone mais utilizado também porque se adapta bem à maioria dos tipos de corpos. Está indicada para mulheres que têm mais gordura e pele firme o suficiente. Nestes casos, o silicone por cima do músculo dará um maior destaque à prótese, deixando os colos bem marcados e decotes que podem ser chamativos. Diferença do silicone por baixo ou por cima do músculo As próteses colocadas abaixo do músculo peitoral são indicadas para mulheres muito magras, que têm pouco volume mamário, pouco tecido na região superior ou medial da mama, portanto, não têm sobra suficiente de pele para introdução do implante. Nestes casos, a prótese fica coberta por uma camada a mais de tecido, o que a deixa mais discreta e com efeito mais natural. A colocação da prótese abaixo do músculo peitoral também é indicada para mulheres que fizeram mastectomia. Além disso, em mulheres mais magras, usar o silicone por baixo do músculo, evita o efeito rippling, que é quando a pessoa olha o seio com o silicone e tem a impressão que a pele da mama está enrugada, porque é possível ter uma percepção da textura da prótese. Benefícios da prótese de silicone por cima do músculo Para as mulheres que têm as condições adequadas, colocar o silicone por cima do músculo também vai proporcionar algumas vantagens: Colo fica mais marcado; Procedimento é mais rápido; Menos complicações pós-operatórias (como a formação de hematomas); Dor pós-operatório é bem menor; Inchaços também são menores; Recuperação é mais rápida; Outra vantagem é que quem coloca silicone por cima do músculo pode amamentar normalmente, apesar de a técnica consistir em colocar o implante abaixo das glândulas mamárias. Cuidados ao colocar a prótese silicone por cima do músculo O implante de silicone por cima do músculo vai envolver também alguns cuidados que a paciente merece saber. Por exemplo, essa técnica pode ter resultados menos duradouros porque vai depender do nível de flacidez da pele. Com o tempo, o peso do próprio silicone pode fazer a pele ceder e o silicone por cima do músculo cai mais rápido do que o submuscular. Isso pode ocorrer especialmente em próteses muito grandes. Os cirurgiões também fazem algumas ressalvas para pacientes que querem colocar próteses de silicone e ainda não engravidaram ou amamentaram. As gestantes que têm um grande aumento de peso e amamentam depois podem ficar com a pele dos seios mais flácidas, o que vai também fazer a prótese ceder mais com o tempo. Com isso, as mulheres que colocaram as próteses por cima do músculo, podem necessitar que a cirurgia seja refeita em alguns anos. Além disso, quando a técnica de incisão para introdução da prótese for um pouco mais invasiva, como as que envolvam alterações no entorno da aréola, alguns ductos mamários podem ser prejudicados. No entanto, a função da amamentação não será prejudicada nas incisões inframamárias ou axilar. Solicitações do médico para realizar o procedimento O primeiro passo da paciente, antes de pensar em colocar silicone por cima do músculo ou por baixo, é passar por uma consulta na qual poderá receber todas as orientações. Além disso, o médico irá solicitar: Histórico clínico da paciente em uma anamnese detalhada; Exames laboratoriais para conhecer as condições de saúde da paciente, porque a cirurgia só poderá ser realizada se ela tiver em boas condições e com certas comorbidades controladas; Solicitar uso de hidratantes por um determinado tempo antes de realizar a cirurgia para proporcionar mais elasticidade à pele; Solicitar ingestão maior de água; Pacientes serão orientadas a parar de fumar; Médico vai sugerir cuidados especiais com a alimentação. Conclusão A decisão de colocar o silicone por cima do músculo ou por baixo deverá seguir o que foi avaliado pelo cirurgião plástico, que deve ser um profissional que inspirou a confiança da paciente, deve ser experiente e filiado à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Com esses cuidados, é certo que a mulher que escolheu colocar um silicone por cima do músculo retome sua autoestima e autoconfiança nos seus contornos corporais.

Silicone por cima do músculo: quando é mais indicado?

Quando uma mulher decide aumentar os seios, uma das questões a resolver com o cirurgião é se vai colocar silicone por cima do músculo peitoral ou abaixo dele.

Neste post entenda quais tópicos precisam ser avaliados para colocar uma prótese de silicone por cima do músculo.

 

Silicone por cima do músculo: antes e depois

Fazer uma mamoplastia de aumento é um sonho para muitas mulheres que querem recuperar contornos, deixar os seios mais firmes e com um volume mais satisfatório. É uma verdadeira injeção de autoestima.

Entre as muitas decisões que precisam tomar em parceria com o cirurgião plástico, as mulheres devem escolher os tipos de prótese de silicone (divididas em redondas, anatômicas e prótese de silicone cônica), tamanho e perfil.

Dentro dessa lista de decisões, a paciente vai saber que colocar silicone por cima ou por baixo do músculo não vai depender de uma escolha dela, mas sim da avaliação do médico sobre o seu biotipo. 

Por sinal, a estrutura física da mulher é sempre um dos principais parâmetros quando o assunto é prótese mamária.

Serão avaliados tamanho do tórax, tamanho atual das mamas e até se há histórico de câncer de mama na família. Além disso, para saber se essa técnica será possível, o cirurgião vai avaliar também tendências à flacidez, espessura da pele e até a facilidade para o surgimento de estrias.

Afinal, silicone é melhor por cima ou por baixo do músculo? 

Não se trata de melhor ou pior, mas o que é mais indicado em cada caso, por isso, é preciso entender essa diferença entre silicone por baixo ou por cima do músculo. 

O implante colocado por cima do músculo (também conhecido como subglandular), normalmente, é a forma mais utilizada pelos médicos, porque é o plano anatômico natural, onde a mama está. 

Consiste em introduzir a prótese abaixo das glândulas mamárias e acima da musculatura torácica.

Normalmente, esse é o tipo de cirurgia de implante de silicone mais utilizado também porque se adapta bem à maioria dos tipos de corpos. Está indicada para mulheres que têm mais gordura e pele firme o suficiente.  

Nestes casos, o silicone por cima do músculo dará um maior destaque à prótese, deixando os colos bem marcados e decotes que podem ser chamativos.

Diferença do silicone por baixo ou por cima do músculo 

As próteses colocadas abaixo do músculo peitoral são indicadas para mulheres muito magras, que têm pouco volume mamário, pouco tecido na região superior ou medial da mama, portanto,  não têm sobra suficiente de pele para introdução do implante. 

Nestes casos, a prótese fica coberta por uma camada a mais de tecido, o que a deixa mais discreta e com efeito mais natural.

A colocação da prótese abaixo do músculo peitoral também é indicada para mulheres que fizeram mastectomia.

Além disso, em mulheres mais magras, usar o silicone por baixo do músculo, evita o efeito rippling, que é quando a pessoa olha o seio com o silicone e tem a impressão que a pele da mama está enrugada, porque é possível ter uma percepção da textura da prótese.

Para as mulheres que têm as condições adequadas, colocar o silicone por cima do músculo também vai proporcionar algumas vantagens:

Benefícios da prótese de silicone por cima do músculo  Para as mulheres que têm as condições adequadas, colocar o silicone por cima do músculo também vai proporcionar algumas vantagens:     Colo fica mais marcado; Procedimento é mais rápido; Menos complicações pós-operatórias (como a formação de hematomas); Dor pós-operatório é bem menor; Inchaços também são menores; Recuperação é mais rápida; Outra vantagem é que quem coloca silicone por cima do músculo pode amamentar normalmente, apesar de a técnica consistir em colocar o implante abaixo das glândulas mamárias.

ebook protese de silicone

Cuidados ao colocar a prótese silicone por cima do músculo 

O implante de silicone por cima do músculo vai envolver também alguns cuidados que a paciente merece saber. Por exemplo, essa técnica pode ter resultados menos duradouros porque vai depender do nível de flacidez da pele. 

Com o tempo, o peso do próprio silicone pode fazer a pele ceder e o silicone por cima do músculo cai mais rápido do que o submuscular. Isso pode ocorrer especialmente em próteses muito grandes.

Os cirurgiões também fazem algumas ressalvas para pacientes que querem colocar próteses de silicone e ainda não engravidaram ou amamentaram. 

As gestantes que têm um grande aumento de peso e amamentam depois podem ficar com a pele dos seios mais flácidas, o que vai também fazer a prótese ceder mais com o tempo. 

Com isso, as mulheres que colocaram as próteses por cima do músculo,  podem necessitar que a cirurgia seja refeita em alguns anos.

Além disso, quando a técnica de incisão para introdução da prótese for um pouco mais invasiva, como as que envolvam alterações no entorno da aréola, alguns ductos mamários podem ser prejudicados. 

No entanto, a função da amamentação não será prejudicada nas incisões inframamárias ou axilar. 

Saiba mais sobre prótese mamária neste vídeo:

Solicitações do médico para realizar o procedimento

O primeiro passo da paciente, antes de pensar em colocar silicone por cima do músculo ou por baixo, é passar por uma consulta na qual poderá receber todas as orientações. Além disso, o médico irá solicitar:

  • Histórico clínico da paciente em uma anamnese detalhada;
  • Exames laboratoriais para conhecer as condições de saúde da paciente, porque a cirurgia só poderá ser realizada se ela tiver em boas condições e com certas comorbidades controladas;
  • Solicitar uso de hidratantes por um determinado tempo antes de realizar a cirurgia para proporcionar mais elasticidade à pele;
  • Solicitar ingestão maior de água;
  • Pacientes serão orientadas a parar de fumar;
  • Médico vai sugerir cuidados especiais com a alimentação.

Conclusão

A decisão de colocar o silicone por cima do músculo ou por baixo deverá seguir o que foi avaliado pelo cirurgião plástico, que deve ser um profissional que inspirou a confiança da paciente, deve ser experiente e filiado à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Com esses cuidados, é certo que a mulher que escolheu colocar um silicone por cima do músculo retome sua autoestima e autoconfiança nos seus contornos corporais.

Comentários

Posted by DR. RODOLFO OLIVEIRA